22 de Dezembro de 2016 / às 12:29 / em um ano

Temer anuncia redução de juros do cartão de crédito e saque de contas inativas do FGTS

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Michel Temer anunciou nesta quinta-feira que os trabalhadores poderão sacar recursos integrais de contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), com potencial para injetar 30 bilhões de reais na economia, e que os juros do cartão de crédito serão reduzidos em mais de 50 por cento.

Presidente Michel Temer durante cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília 20/12/2016 REUTERS/Ueslei Marcelino

Segundo Temer, que participou de café da manhã com jornalistas em Brasília, cerca de 86 por cento das contas inativas do FGTS têm saldo inferior a um salário mínimo, ou 880 reais.

Por isso, acrescentou ele, a retirada desses recursos não coloca em risco a solidez do FGTS.

A medida é mais uma tentativa do governo de estimular a economia, que está em recessão desde 2015 e ainda não deu sinais consistentes de recuperação, em meio a baixa confiança dos agentes econômicos.

Temer também anunciou a redução em mais de 50 por cento nos juros rotativos do cartão de crédito e parcelamento dos inadimplentes nesta modalidade de crédito. Hoje, os juros nos cartões de crédito ultrapassam 400 por cento ao ano.

“No primeiro trimestre haverá redução de mais da metade dos juros cobrados no cartão de crédito”, afirmou o presidente, acrescentando que, em seguida, haverá parcelamento daqueles que não pagaram e este parcelamento ainda receberá juros inferiores.

Questionado por jornalistas se o governo não estaria intervindo nos bancos ao anunciar a redução dos juros dos cartões de crédito, Temer negou. Garantiu que a queda dos juros foi acertada em negociações entre o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles; o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, e as instituições financeiras.

“Isso está sendo feito com contatos com os bancos. É uma coisa acordada. Não há nenhuma intervenção, nem administrativa nem legislativa”.

De acordo com Meirelles, que também participou do encontro, a limitação do crédito rotativo a 30 dias, assim como outras medidas que vão facilitar a operacionalidade dos cartões, permitirão que os bancos tenham capacidade de cortar os juros.

“Não é uma medida oficial, como no passado, em que se cortava para depois voltar. Isso é um início de um processo de queda sustentável”, disse o ministro.

Reportagem de Lisandra Paraguassu

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below