31 de Janeiro de 2017 / às 14:10 / em 10 meses

Temer diz que inflação em 2017 vai continuar em queda e pode ficar abaixo da meta de 4,5%

SÃO PAULO (Reuters) - O presidente Michel Temer afirmou nesta terça-feira que a inflação vai continuar em queda ao longo de 2017 e pode fechar o ano inclusive abaixo do centro da meta de 4,5 por cento, dizendo que “quem planta responsabilidade colhe indicadores saudáveis”.

Presidente Michel Temer. 30/09/2016. REUTERS/Paulo Whitaker

Em discurso durante conferência de investimentos em São Paulo, Temer disse que o ano começou com boas notícias para a economia em decorrência das medidas de ajuste fiscal adotadas pelo governo, citando como exemplos a imposição de um limite para os gastos públicos e a apresentação de reformas ao Congresso.

O presidente lembrou que a inflação oficial medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou o ano passado com alta de 6,29 por cento, dentro da margem de tolerância da meta do governo, e disse que os preços continuarão a cair ao longo de 2017.

“Pouco a pouco vão aparecendo os resultados deste trabalho. Nós fechamos 2016 com a inflação dentro da meta e vamos reduzi-la ainda mais em 2017”, disse Temer em evento sobre investimentos, acrescentando elogios ao presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn, que estava presente, e ao ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

“A previsão que se faz para este futuro, para este ano, 2017, é que nós fiquemos na meta de 4,5 ou quem sabe, doutor Ilan, continuando a trabalhar como está com o Meirelles, quem sabe até abaixo desse percentual”, acrescentou.

Temer ressaltou que a redução da inflação e a queda dos juros, que caíram para 13,0 por cento ao ano, têm sido os motores para o país sair da recessão, e que na sequência virão o crescimento e o combate ao desemprego.

Nesta terça-feira, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o país encerrou 2016 com recorde de mais de 12 milhões de pessoas sem trabalho e taxa de desemprego a 12 por cento, num claro reflexo da crise econômica enfrentada pelo país.

“Vamos sair da recessão, começar a obter o crescimento e, com ele, o combate ao desemprego”, afirmou o presidente.

Temer também aproveitou a conferência para fazer um convite aos investidores externos para que façam negócios no Brasil, apontando para as atuais “incertezas” no cenário internacional. Um dos motivos de preocupação no mundo tem sido o discurso protecionista do novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

“Diante das incertezas na cena internacional, o Brasil afirma-se ainda mais como espaço especialmente atrativo para os negócios”, afirmou. “O Brasil que temos hoje é o Brasil das oportunidades.”

Reportagem de Bruno Federowski; Texto de Pedro Fonseca

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below