7 de Março de 2017 / às 15:12 / em 8 meses

CORREÇÃO-Brookfield vai assumir controle de unidades da SunEdison por US$1,41 bi

(Corrige valor do negócio para “1,41 bi dólares” e não “2,5 bi dólares”; corrige valor para aquisição de fatia da TerraForm Power para “622 milhões de dólares”, e não “1,7 bilhão de dólares”)

(Reuters) - O fundo canadense Brookfield Asset Management disse nesta terça-feira que vai comprar uma das duas empresas de geração de energia renovável da norte-americana SunEdison, que entrou em recuperação judicial, além de ficar com uma fatia de 51 por cento da segunda unidade, por um total de 1,41 bilhão de dólares.

O maior gestor de ativos alternativos do Canadá vai comprar a TerraForm Global por cerca de 787 milhões de dólares, e pagará 622 milhões de dólares para ampliar para 51 por cento sua fatia na TerraForm Power.

Ambas empresas foram criadas pela SunEdison para comprar usinas de geração renovável em operação ao redor do mundo e distribuir dividendos. A TerraForm Global controla ou tem contratos para adquirir 952 megawatts em energia solar e eólica no Brasil, Índia, China, África do Sul, Tailândia, Malásia e Uruguai.

A TerraForm Power possui cerca de 2.967 megawatts em ativos de energia solar e eólica em Estados Unidos, Canadá, Reino Unido e Chile.

Pelo acordo, a Brookfield também irá assumir 455 milhões de dólares em dívidas da TerraForm Global e pagará 5,10 dólares por cada ação classe A da empresa, um prêmio de 20 por cento ante o fechamento do papel na segunda-feira.

Na TerraForm Power, os acionistas classe A receberão 11,46 dólares por ação, abaixo do fechamento de 11,59 dólares na segunda-feira.

A Brookfield já possuía uma fatia de 12,16 por cento na TerraForm Power em 17 de fevereiro, segundo dados da Thomson Reuters.

Agora, a Brookfield irá substituir a SunEdison como patrocinadora da TerraForm Power assim que o negócio for fechado.

A SunEdison, que chegou a ser a empresa de energias renováveis dos EUA com mais acelerado crescimento, entrou com pedido de proteção judicial contra credores no ano passado após um surto de agressivas aquisições impulsionadas por dívidas se provar insustenvável.

Por John Benny, em Bangalore

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below