29 de Março de 2017 / às 14:45 / 8 meses atrás

Bovespa sobe e Banco do Brasil é destaque de alta; mercado aguarda contingenciamento

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista operava em território positivo nesta quarta-feira, tendo as ações do Banco do Brasil entre as maiores altas, enquanto investidores seguem à espera do anúncio pelo governo federal de corte de gastos no Orçamento e aumento de impostos.

Às 11h42, o Ibovespa subia 0,87 por cento, a 65.201 pontos. O giro financeiro era de 2,17 bilhões de reais.

A divulgação do contingenciamento do Orçamento e de eventuais aumentos de impostos para cumprir a meta fiscal deste ano deve ser feita no fim desta tarde. O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, adiantou esta semana que o governo estima receitas extras de cerca de 17 bilhões de reais para 2017 com devolução à União de hidrelétricas e com questão envolvendo precatórios.

De acordo com fontes ouvidas pela Reuters, o corte deve ficar em torno de 30 bilhões de reais, e deve ser promovida a reoneração da folha de pagamentos.

Além da espera por definições no campo local, investidores estão atentos ao exterior, após a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, dar o início formal ao processo de separação da União Europeia.

DESTAQUES

- BANCO DO BRASIL ON subia 2,6 por cento, após analistas da UBS Securities elevarem o preço-alvo dos papéis do banco para 34 reais, ante 23 reais, e alterarem a recomendação para “neutra”, ante “venda”.

- VALE PNA subia 1,23 por cento e VALE ON ganhava 1,41 por cento, ampliando os ganhos das duas últimas sessões, após o anúncio da escolha do novo presidente. A sessão era marcada ainda por alta nos contratos futuro do aço e de minério de ferro na China.

- USIMINAS PNA avançava 1,38 por cento. Na véspera, o fundo Geração Futuro L Par, do empresário Lírio Parisotto, indicou para a eleição do presidente do conselho de administração da Usiminas o advogado Mario Daud Filho, para substituir Elias Brito, indicado pelo grupo controlador Ternium.

- PETROBRAS PN tinha alta de 1,65 por cento e PETROBRAS ON ganhava 2,04 por cento, acompanhando o tom positivo dos preços do petróleo no mercado interancional, impulsionados por interrupções no fornecimento na Líbia e opiniões de que uma redução da produção liderada pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo deve ser estendida.

- CEMIG PN caía 2,22 por cento, após o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) Mauro Campbell ter revogado, na véspera, liminar concedida no início do mês que autorizava a Cemig a seguir como operadora da hidrelétrica de São Simão nos termos originais do contrato de concessão da usina, que venceu em 2015.

- COPEL PNB tinha alta de 0,46 por cento. Na véspera, a estatal paranaense de energia divulgou prejuízo líquido de 109,8 milhões de reais no quarto trimestre do ano passado, revertendo lucro de 402,1 milhões de reais no mesmo período de 2015, devido principalmente a baixas contábeis em ativos de geração.

Por Flavia Bohone

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below