17 de Abril de 2017 / às 14:13 / 4 meses atrás

Bancos amparam recuperação da Bovespa em dia com vencimento de opções

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa operava no azul nesta segunda-feira, em uma tentativa de recuperação após cair ao menor patamar em três meses no último pregão, com as ações de bancos exercendo a principal influência positiva, embora investidores sigam cautelosos com os desdobramentos das delações no âmbito da operação Lava Jato.

A primeira parte do pregão é marcada ainda por vencimento dos contratos de opções sobre ações, o que pode adicionar volatilidade aos negócios.

Às 11:07, o Ibovespa subia 1,1 por cento, a 63.520 pontos. O giro financeiro era de 1,52 bilhão de reais.

Em meio às delações da Odebrecht envolvendo uma série de políticos em esquemas de corrupção, o presidente Michel Temer busca manter os esforços para avançar a reforma da Previdência e pediu na noite passada a parlamentares aliados e ministros que atuem para manter o cronograma de votação da proposta no Congresso.

No exterior, os sinais eram mistos, com as crescentes tensões geopolíticas ainda despertando cautela, enquanto o crescimento econômico mais forte que o esperado da China trazia algum alívio.

DESTAQUES

- BRADESCO PN subia 1,46 por cento e ITAÚ UNIBANCO PN tinha alta de 1,48 por cento, em movimento de recuperação após caírem 3,05 e 1,82 por cento, respectivamente, na quinta-feira. BANCO DO BRASIL ON liderava os ganhos entre os bancos e mostrava alta de 2,68 por cento, após a queda de 5,20 por cento no pregão anterior.

- USIMINAS PNA avançava 5,14 por cento, entre as maiores altas do Ibovespa, após o jornal O Estado de S.Paulo informar que a empresa teve lucro líquido de 121 milhões de reais e Ebitda de 366 milhões de reais no primeiro bimestre do ano.

- ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES ON tinha alta de 3,56 por cento e KROTON ON subia 3,47 por cento, também figurando entre os destaques positivos do índice, em movimento de recuperação após as fortes quedas vistas na quinta-feira.

- PETROBRAS PN cedia 0,14 por cento e PETROBRAS ON tinha baixa de 0,55 por cento, em sessão sem viés único para os preços do petróleo no mercado internacional. No radar estavam ainda os dados divulgados na noite de quinta-feira, mostrando crescimento de cerca de 7 por cento na produção média de petróleo e gás natural da Petrobras no primeiro trimestre ante o mesmo período do ano passado, impulsionada principalmente pelos novos poços do pré-sal.

- VALE PNA recuava 1,37 por cento e VALE ON tinha baixa de 1,24 por cento, em dia de queda para os contratos futuros do aço e do minério de ferro negociados na China.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below