24 de Abril de 2017 / às 14:55 / 5 meses atrás

É preciso equilíbrio em formas de contratação na reforma trabalhista, diz ministro do Planejamento

Ministros da Fazenda, Henrique Meirelles, e do Planejamento, Dyogo Oliveira. 07/04/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino

BRASÍLIA (Reuters) - O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, destacou nesta segunda-feira a necessidade de haver equilíbrio no tratamento das diversas forma de contratação na reforma trabalhista que deve ser votada esta semana.

Em evento em Brasília, Dyogo afirmou a jornalistas que o governo está atento ao fato de que foram incluídos diversos dispostivos no relatório da reforma, e que o equilíbrio sobre as formas de contratações é necessário para que não haja incentivo a um tipo ou outro “que venha contribuir de forma negativa ao equilíbrio das contas públicas”.

A expectativa é de que o relatório da reforma trabalhista seja votado em comissão especial da reforma na Câmara na terça-feira e no plenário na quarta-feira.

Na semana passada, a Câmara dos Deputados aprovou requerimento para conferir regime de urgência à reforma trabalhista, depois de o governo ter fracassado um dia antes em aprovar requerimento semelhante.

A reforma trabalhista é tida como prioritária para o governo e também servirá de termômetro do comportamento da base, um teste, para a votação da reforma da Previdência.

Reportagem de Cesar Raizer

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below