9 de Maio de 2017 / às 18:54 / em 3 meses

Azul terá mil voos extras durante julho para demanda da alta temporada

Check-in da Azul no Aeroporto de Viracopos, em Campinas, no Brasil 11/04/2017Paulo Whitaker

SÃO PAULO (Reuters) - A Azul pretende adicionar cerca de mil voos extras em em sua malha aérea no mês de julho para atender a expectativa de aumento da demana de passageiros para o período, principalmente para o Nordeste.

A ação entre 1º e 31 julho prevê inclusão de novos mercados domésticos, aumento de voos internacionais e um total de aproximadamente mil operações extras em 19 aeroportos, afirmou a a Azul em comunicado à imprensa nesta terça-feira.

O anúncio dos voos extras acontece quase um mês depois que a a Azul, terceira maior companhia aérea do Brasil, fez uma oferta pública inicial de ações (IPO), movimentando cerca de 2 bilhões de reais.

"Estamos muito entusiasmados com a chegada da alta temporada de julho... Neste ano, apostamos em novos mercados e, logicamente, nas regiões mais procuradas pelos turistas", disse o diretor de Planejamento de Malha da Azul, Daniel Tkacz.

As bases que mais receberão voos adicionais são Viracopos (SP), Belo Horizonte e Recife - os maiores hubs da empresa -, mas haverá rotas novas como Goiânia-Salvador, Rio-Recife, BH-Fortaleza.

Também receberão voos extras da Azul aeroportos de Guarulhos (SP), Santos Dumont (RJ), Salvador, Foz do Iguaçu, Teresina, São Luís, Fortaleza, Natal, Maceió, Curitiba, Ilhéus (BA), Valença (BA), Cuiabá e Goiânia.

Das operações internacionais, as operações adicionais vão envolver Fort Lauderdale/Miami e Orlando, nos Estados Unidos.

A companhia afirmou que vai utilizar sua frota atual de aviões para atender os voos extras do período. A Azul informou que costuma ajustar sua malha durante o inverno, com operação especial entre maio e setembro nos aeroportos onde as condições climáticas costumam impactar a regularidade e pontualidade de seus voos, fazendo mudanças que incluem a diminuição de voos em alguns aeroportos.

As ações da companhia aérea exibiam queda de 0,6 por cento às 15:52. A empresa não faz parte do Ibovespa, que no mesmo horário tinha valorização de 1,15 por cento.

Por Paula Arend Laier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below