23 de Maio de 2017 / às 20:08 / em 4 meses

Nestlé elevará capacidade de análise de alimentos com nova unidade no Brasil

Logo da Nestlé na sede da companhia em Vevey, na Suíça 18/02/2016 REUTERS/Pierre Albouy/File Photo

SÃO PAULO (Reuters) - Fornecer alimentos cada vez mais frescos e seguros com maior agilidade das análises de qualidade, estes são alguns dos motivos por trás de investimentos de cerca de 20 milhões de reais da Nestlé na ampliação de seu Centro de Tecnologia e Qualidade, que passará a funcionar no interior de São Paulo.

Os investimentos, anunciados nesta terça-feira, ocorrem em momento em que a companhia busca cativar consumidores cada vez mais exigentes e com novos hábitos alimentares no país, o quarto mercado global da companhia suíça.

“O que vislumbramos é cada vez mais ter o produto mais rápido para o consumidor”, disse o gerente-geral do Centro de Tecnologia e Qualidade da Nestlé, Frede Politi, em entrevista à Reuters.

O novo centro, que funcionará no parque fabril de Araras (SP), a partir de novembro, propiciará um aumento de pelo menos 20 por cento na capacidade de análises da unidade tecnológica, que hoje funciona na capital paulista.

A fábrica da Nestlé em Araras é uma das 31 que a empresa possui no Brasil, enquanto o centro de qualidade será uma referência para os demais laboratórios instalados em cada unidade fabril da companhia no país.

Com a expansão, o centro de análises estará mais preparado para o processo de lançamento de novos produtos, com a empresa de olho em um mercado consumidor exigente e competitivo, destacou Politi, que começou a trabalhar na Nestlé há cerca de 20 anos, como estagiário.

“A definição dos investimentos tem como objetivo modernizar para oferecer aos consumidores um produto de melhor qualidade... e também ser mais competitivo”, comentou ele, destacando que o centro de referência brasileiro é um das 24 unidades do gênero da Nestlé no mundo.

No ano passado, por exemplo, uma importante linha de produtos sem lactose da Nestlé foi lançada no Brasil com metodologias desenvolvidas no centro.

De maneira geral, os produtos analisados na unidade são café, leite, cacau, farinha, grãos como soja e milho, e vegetais, entre outros, observou o executivo, citando ainda elevado nível de rigor nos testes.

Como exemplo, ele disse que o leite, até chegar aos consumidores, passa por cerca de 500 testes diferentes.

A companhia realiza testes microbiológicos, físico-quimicos e de pesquisa de contaminantes, sempre com requisitos mais restritos que os exigidos pela legislação brasileira, para atender os consumidores com certa margem de segurança, e também pelo fato de a unidade brasileira ser exportadora.

A unidade laboratorial, que já recebe amostras de alimentos de Peru, Chile e Argentina, também poderá incrementar análises de produtos de outros países, com a expansão da capacidade.

A ideia de instalar o centro em Araras, onde a companhia inaugurou sua primeira unidade no Brasil, em 1921, ressaltou Politi, deve-se também ao fato de a região contar com importantes universidades brasileiras, o que facilita na capacitação dos profissionais, algo que a Nestlé considera fundamental.

Na unidade de análise trabalham atualmente 45 pessoas, entre químicos, biólogos, farmacêuticos e técnicos em alimentos, um time que deverá ser ampliado juntamente com a expansão do centro laboratorial.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below