31 de Maio de 2017 / às 14:39 / 4 meses atrás

Ibovespa recua com cautela por desdobramentos de crise política; JBS sobe

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa recuava cerca de 1 por cento nesta quarta-feira, com a cautela prevalecendo diante do cenário político ainda conturbado e tendo as ações da Vale entre as maiores pressões negativas, na esteira da queda dos preços do minério de ferro.

Os papéis da JBS, por sua vez, avançavam cerca de 9 por cento após acordo de leniência de sua controladora com o Ministério Público Federal (MPF).

Às 11:35, o Ibovespa caía 1,12 por cento, a 63.244 pontos. O giro financeiro era de quase 2,2 bilhões de reais.

A bolsa tem mostrado volatilidade há cerca de duas semanas, desde a delação de executivos da JBS, que resultaram em denúncias contra o presidente Michel Temer e outros políticos, colocando em xeque a permanência de Temer no comando do país.

Desde então, o governo têm se esforçado para mostrar que a agenda no Legislativo vai avançar, o que tem amparado alguma recuperação no mercado. No entanto, as incertezas políticas permanecem e não abrem espaço para o Ibovespa retomar o patamar antes da crise, ao redor de 68 mil pontos.

“Ontem, o presidente Michel Temer e sua equipe econômica se mostraram confiantes quanto ao andamento das propostas de ajuste fiscal, porém medidas menos polêmicas já vêm enfrentando dificuldades de aprovação, corroborando um cenário bastante complicado e incerto”, escreveram analistas da corretora Coinvalores em nota a clientes.

Nesta sessão, investidores aguardam a decisão do Banco Central, após o fechamento, sobre o rumo da taxa básica de juros, com as expectativas apontando para corte de 1 ponto percentual. Antes da crise, vinham crescendo as apostas de redução de 1,25 ponto percentual.

DESTAQUES

- VALE PNA caía 4,1 por cento e VALE ON perdia quase 5 por cento, após quatro pregões seguidos de ganhos para os papéis da mineradora e em sessão de baixa para os futuros do minério de ferro na China, que caíram para o menor patamar desde novembro.

- PETROBRAS PN perdia 1,5 por cento e PETROBRAS ON recuava 1,9 por cento, acompanhando o movimento dos preços do petróleo no mercado internacional, que tinham queda acentuada com o aumento da produção da Líbia alimentando a preocupação de que os cortes liderados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo estão sendo prejudicados por vários países que estão excluídos do pacto.

- JBS ON subia 9,2 por cento, após a sua controladora J&F fechar acordo de leniência com o Ministério Público Federal que prevê o pagamento de multa de 10,3 bilhões de reais por atos praticados por empresas controladas pela holding. As ações da empresa têm mostrado forte volatilidade desde o acordo de delação de seus executivos, com investidores atentos a todas as notícias envolvendo a empresa.

- BTG PACTUAL UNIT, que não faz parte do Ibovespa, caía 3,8 por cento. No radar estavam a notícias de que o ex-ministro Antonio Palocci disse aos procuradores do Ministério Público Federal, durante negociações de delação premiada, que a compra de participação no Banco Panamericano pela Caixa Econômica Federal, em 2009, atendeu interesse do banqueiro André Esteves.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below