31 de Maio de 2017 / às 21:04 / em 6 meses

Política e Vale fazem Ibovespa cair 2%; JBS avança

SÃO PAULO (Reuters) - A Bovespa recuou nesta quarta-feira, com o cenário político doméstico inspirando cautela e as ações da Vale caindo forte, na esteira da queda nos preços do minério de ferro.

Telão eletrônico em sessão da Bovespa na Bolsa de Ações de São Paulo, no centro de São Paulo 09/05/2016 REUTERS/Paulo Whitaker/File photo

Os papéis da JBS, por outro lado, avançaram cerca de 9 por cento após acordo de leniência de sua controladora, a J&F, com o Ministério Público Federal (MPF).

O Ibovespa fechou em baixa de 1,96 por cento, a 62.711 pontos, encerrando o mês com baixa de 4,12 por cento. O volume financeiro do pregão somou 11,6 bilhões de reais.

O mercado acionário tem estado volátil desde a delação de executivos da JBS e da J&F, há duas semanas, que resultou em denúncias contra o presidente Michel Temer, colocando em xeque a permanência dele no comando do país.

Desde então, o governo tem se esforçado para fazer com que a agenda legislativa siga adiante, o que tem amparado alguma recuperação no mercado. No entanto, as incertezas políticas permanecem e não abrem espaço para o Ibovespa retomar o patamar antes da crise, ao redor de 68 mil pontos.

A sessão desta terça-feira teve ainda o rebalanceamento do índice global MSCI e suas subdivisões, incluindo a do Brasil, que passa a valer no fechamento desta quarta-feira. O ajuste da carteira conta com a entrada das units da Taesa e exclui as units da AES Tietê Energia.

O Banco Central divulgará ainda nesta quarta a decisão sobre o rumo da taxa básica de juros, com as expectativas apontando corte de 1 ponto percentual. Antes da crise, vinham crescendo as apostas de redução de 1,25 ponto percentual.

DESTAQUES

- VALE PNA caiu 4,62 por cento e VALE ON perdeu 5 por cento, após quatro pregões seguidos de ganhos para os papéis da mineradora e em sessão de baixa para os futuros do minério de ferro na China, que caíram para o menor patamar desde novembro.

- PETROBRAS PN cedeu 2,99 por cento e PETROBRAS ON recuou 3,88 por cento, acompanhando o movimento dos preços do petróleo no mercado global, que caíram forte com o aumento da produção da Líbia alimentando a preocupação de que os cortes liderados pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo estão sendo prejudicados por vários países que estão excluídos do pacto.

- BRF ON caiu 4,27 por cento, tendo como pano de fundo o rebalanceamento do índice MSCI que entra em vigor no fechamento desta sessão e, entre outras mudanças em sua revisão semestral, reduziu o peso dos papéis da BRF em sua composição.

- JBS ON subiu 9,05 por cento, após a sua controladora J&F fechar acordo de leniência com o Ministério Público Federal com pagamento de multa de 10,3 bilhões de reais. Na máxima, o papel avançou quase 9,5 por cento,. As ações da empresa têm mostrado forte volatilidade desde o acordo de delação de seus executivos, com investidores atentos a todas as notícias envolvendo a empresa.

- BTG PACTUAL UNIT caiu 6,23 por cento. No radar estavam a notícias de que o ex-ministro Antonio Palocci disse aos procuradores do Ministério Público Federal, durante negociações de delação premiada, que a compra de participação no Banco Panamericano pela Caixa Econômica Federal, em 2009, atendeu interesse do banqueiro André Esteves.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below