1 de Junho de 2017 / às 14:30 / em 6 meses

Ibovespa sobe com ajuste e de olho em dados econômicos; política segue no radar

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa operava no azul nesta quinta-feira, buscando uma recuperação após cair quase 2 por cento na véspera e de olho na economia do país, que confirmou as expectativas e cresceu no primeiro trimestre ante os últimos três meses de 2016.

O cenário político, contudo, ainda desperta cautela.

Às 11:26, o Ibovespa subia 0,67 por cento, a 63.130 pontos. O giro financeiro era de 1,4 bilhão de reais.

O Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 1 por cento no primeiro trimestre ante os últimos três meses de 2016, em linha com expectativa do mercado segundo pesquisa Reuters. Já na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, o PIB encolheu 0,4 por cento.

Para analistas da corretora Lerosa Investimentos, os números são positivos, mas não o suficiente para “se comemorar com entusiasmo”, uma vez que já eram esperados e com os receios em torno do cenário político ainda elevados.

O governo segue tentando mostrar normalidade na condução da agenda no Legislativo desde a crise que atingiu o Planalto, após denúncias contra o presidente Michel Temer. Essa expectativa por andamento nas reformas tem amparado alguma tentativa de recuperação do Ibovespa, embora operadores destaquem que ainda é preciso mais clareza sobre a situação política para que o índice retome um viés claro de alta.

Na véspera, o Banco Central também confirmou as expectativas do mercado e cortou a selic em mais 1 ponto percentual, para 10,25 por cento ao ano, mas indicou uma desaceleração no ritmo, em meio à crise política.

O tom positivo nesta sessão ainda era amparado pelo desempenho favorável em Wall Street, que subia na esteira de dados melhores que o esperado do emprego no setor privado.

DESTAQUES

- JBS ON avançava quase 6 por cento, liderando os ganhos do Ibovespa, ampliando os ganhos da véspera, após a sua holding fechar acordo de leniência com o Ministério Público Federal. Os papéis da empresa têm mostrado forte volatilidade nas duas últimas semanas, desde a delação de seus executivos.

- COSAN ON valorizava-se 3 por cento. Analistas do UBS melhoraram a recomendação para os papéis da empresa para compra, ante neutra, afirmando que a empresa tem bons fundamentos.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON ganhavam 1,3 por cento cada, revertendo as perdas da véspera em sessão mista para os preços do petróleo no mercado internacional.

- VALE PNA recuava 0,2 por cento e VALE ON perdia 0,5 por cento, em mais um dia de perdas para os futuros do minério de ferro na China.

- LOJAS AMERICANAS PN tinha baixa de 1 por cento. Segundo operadores, como pano de fundo estava a sinalização de cortes menores de juros à frente, pressionando empresas de varejo que tendem a se beneficiar de juros mais baixos. GRUPO PÃO DE AÇÚCAR PN recuava 0,5 por cento.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below