5 de Junho de 2017 / às 14:33 / em 6 meses

Ibovespa opera sem viés claro, de olho em cenário político

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa oscilava entre leves altas e baixas nesta segunda-feira, com investidores mantendo o clima de cautela diante das incertezas no cenário político, na véspera do início do julgamento no Tribunal Superior Eleitoral que decidirá o futuro de Michel Temer na Presidência.

Às 11:29, o Ibovespa subia 0,14 por cento, a 62.599 pontos. O giro financeiro era de 1,18 bilhão de reais.

Além do julgamento no TSE, Temer ainda é alvo de um inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) por suspeitas de corrupção, obstrução à Justiça e organização criminosa, depois da gravação de uma conversa do presidente com o empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS.

As atenções também se voltam para o ex-deputado e ex-assessor especial do presidente Temer, Rodrigo Rocha Loures, que foi preso no sábado, por receios de que possa fazer acordo de delação e implicar Temer.

Em meio à crise que atinge o Planalto, o mercado segue ainda atento ao andamento das reformas no Congresso, para avaliar seus impactos no avanço das medidas. Neste sentido, a expectativa é que a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado vote na terça-feira a reforma trabalhista, para que então ela possa seguir sua tramitação.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN subia 0,61 por cento e PETROBRAS ON avançava 0,73 por cento, com as notícias sobre governança da empresa se sobrepondo à pressão negativa da queda dos preços do petróleo no mercado internacional. A petroleira pediu à B3 certificação para Programa Destaque em Governança das Estatais e iniciou estudos para aderir ao segmento especial de listagem Nível 2. Além disso, também no radar estava o pré-pagamento total de uma Nota de Crédito à Exportação para melhorar o perfil de amortização e reduzir o custo da dívida.

- BR MALLS ON ganhava 2,13 por cento. Como pano de fundo estava a notícia do colunista Lauro Jardim, no jornal O Globo, de que existe uma “embrionária conversa” sobre fusão com a ALIANSCE, que não faz parte do Ibovespa, e avançava 3,87 por cento. Procuradas pela Reuters, a BR Malls disse que não comentaria a notícia, enquanto a Aliansce não retornou imediatamente ao contato

- ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES caía 3,92 por cento, liderando a ponta negativa do Ibovespa, após a notícia de adiamento do julgamento pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) do processo de fusão com a KROTON, que recuava 2,27 por cento.

- VALE PNA perdia 1,77 por cento e VALE ON tinha desvalorização de 1,76 por cento, na contramão dos contratos futuros do minério de ferro na China.

Por Flavia Bohone

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below