8 de Junho de 2017 / às 22:57 / 2 meses atrás

Conab negocia apoio para 2,5 mi t de milho em dez operações de subvenção

Milho é tirado de silo e colocado em caminhão em Limoeiro do Norte, no Estado do Ceará 15/01/2015Davi Pinheiro

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) negociou nesta quinta-feira subvenção para o transporte de pouco mais de 850 mil toneladas de milho, ampliando para um total de cerca de 2,5 milhões de toneladas o volume apoiado em dez leilões realizados pelo governo desde o início de maio com o objetivo de sustentar os preços diante de uma safra recorde.

Nos leilões de PEP e Pepro desta quinta-feira, em novas operações direcionadas exclusivamente para produtores de Mato Grosso, Conab negociou apoio para 267 mil toneladas e 589,6 mil toneladas de milho, respectivamente, de acordo com dados da estatal.

Os participantes nos leilões de PEP e Pepro disputam nos leilões um prêmio para viabilizar o escoamento do produto. Uma parte importante dos volumes envolvidos nesses programas é destinada à exportação.

Para receber a subvenção, o arrematante, que pode ser uma trading no caso do PEP, tem que comprovar o pagamento do preço mínimo ao produtor e confirmar o escoamento do produto.

No caso do Pepro, o governo paga ao produtor a diferença entre o preço de sua venda ao mercado e o preço mínimo, caso o valor esteja abaixo do mínimo.

O governo realizou ainda nesta quinta-feira mais um leilão de contratos de opção de venda, no qual negociou contratos equivalentes a 200 mil toneladas.

Nos outros quatro leilões de contratos de opção, realizados também desde o início de maio, o governo negociou o equivalente 800 mil toneladas, em programas que visam também garantir os preços mínimos.

Por meio deste instrumento de opção, os produtores de Mato Grosso arrematantes podem vender milho ao governo federal até 15 de setembro, pelo preço de 17,87 real a saca de 60 kg, caso o preço de mercado esteja baixo e os incentive a exercer o direto de venda.

Apesar dos leilões, os preços pagos os produtores estão abaixo dos valores mínimos garantidos pelo governo em várias praças de Mato Grosso, em meio a uma safra recorde.

A Agroconsult elevou nesta quinta-feira sua previsão para a segunda safra de milho do Brasil a 68,8 milhões de toneladas, ante previsão de 67 milhões de toneladas em maio, em meio a chuvas favoráveis que garantiram produtividades recordes em importantes produtores como Mato Grosso.

Por Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below