21 de Junho de 2017 / às 14:57 / em 4 meses

Bovespa ensaia recuperação e sobe 0,6%, mas cautela com cena política persiste

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da Bovespa operava no azul nesta quarta-feira, após fechar na véspera no menor patamar desde o início de janeiro, mas com investidores ainda cautelosos diante do cenário político conturbado.

Às 11:46, o Ibovespa subia 0,59 por cento, a 61.127 pontos. O giro financeiro era de 1,97 bilhão de reais.

A espera por uma solução da crise que atinge o Planalto desde a divulgação de conversa entre um dos sócios da JBS e o presidente Michel Temer tem deixado o mercado instável, com receios, principalmente, sobre o impacto da crise no andamento das reformas no Congresso Nacional.

O governo sofreu na terça-feira uma derrota ao ter o parecer oficial do senador Ricardo Ferraço (PSDB-ES) sobre a reforma trabalhista rejeitado pela Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado. O cenário também não foi positivo para Temer na Justiça, que rejeitou sua queixa-crime contra o empresário Joesley Batista que, em entrevista à revista Época no final de semana, chamou-o de “chefe de organização criminosa”.

“A preocupação do mercado agora reside no possível fim da governabilidade de Temer”, escreveu a equipe da H.Commcor em relatório a clientes.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN tinha alta de 1,77 por cento e PETROBRAS ON ganhava 1,23 por cento, em uma tentativa de recuperação após a queda da véspera, em sessão também de ganhos para os preços do petróleo no mercado internacional. [O/R]

- VALE PNA subia 3,08 por cento e VALE ON tinha alta de 2,88 por cento, após as perdas da véspera e em sessão de ganho para os contratos futuros do minério de ferro na China.

- JBS ON avançava 1,83 por cento, entre os destaques positivos do Ibovespa. Os papéis da empresa têm sofrido forte volatilidade desde a delação de seus executivos, com o mercado à espera de novidades sobre vendas de ativos. Na véspera, a empresa informou um plano de desinvestimento no valor de 6 bilhões de reais.

- BRADESCO PN subia 0,87 por cento, ajudando o tom positivo do índice devido ao peso das ações em sua composição. ITAÚ UNIBANCO PN, também de forte relevância no índice, tinha movimento mais contido e subia 0,51 por cento.

- ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES ON caía 6,52 por cento e liderava a ponta negativa do Ibovespa, diante de receios quanto à fusão com a KROTON ON, que perdia 2,82 por cento. Segundo reportagem do jornal Valor Econômico, a possibilidade de veto do acordo é discutida pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e somente a relatora do caso, Cristiane Alkmin, é a favor da operação com restrições, sendo a principal delas a venda da Anhanguera, adquirida pela Kroton em 2014.

- ALPARGATAS PN, que não faz parte do Ibovespa, subia 1,76 por cento, tendo como pano de fundo a expectativa pela venda da empresa, controlada pela holding J&F. Nesta quarta-feira, o jornal Valor Econômico noticiou que a J&F recebeu propostas de fundos de investimentos pela Alpargatas, incluindo os fundos Carlyle e Advent. Na semana passada, fontes disseram à Reuters que a Cambuhy Investimentos e a GP Investments estão entre as empresas de investimento que consideram fazer uma oferta pela fabricante de roupas esportivas e de calçados.

Por Flavia Bohone

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below