23 de Junho de 2017 / às 20:11 / em 6 meses

Dólar tem leve alta e encosta em R$3,34, atento ao cenário político

SÃO PAULO (Reuters) - Pelo terceiro pregão consecutivo, o dólar terminou com leve elevação e encostou em 3,34 reais, com a agenda esvaziada dividindo a atenção dos investidores entre o recuo da moeda no exterior e o cenário político.

O dólar avançou 0,11 por cento, a 3,3391 reais na venda, renovando o maior nível de fechamento desde 18 de maio, quando terminou a 3,3890 reais. Na semana, acumulou alta de 1,58 por cento.

Na mínima, marcou 3,3268 reais e, na máxima, 3,3441 reais. O dólar futuro tinha baixa de 0,10 por cento.

“É forte a cautela com o político e com ajuste fiscal...que segue sendo a principal preocupação”, avaliou o operador da corretora H.Commcor, Cleber Alessie Machado.

Com a agenda esvaziada, os investidores acompanharam mais de perto o mercado externo, onde os preços do petróleo subiram e favoreceram o recuo do dólar ante divisas de emergentes no exterior, como ante o peso mexicano. O dólar também cedia ante uma cesta de moedas

O movimento, entretanto, foi contido pelas preocupações sobre o andamento das reformas no Congresso Nacional.

“A banda de 3,25 reais a 3,30 reais foi movida para 3,30 reais a 3,35 reais após o episódio da CAS. Isso mostrou que carece capital político para aprovar o ajuste fiscal. O mercado achava que a reforma trabalhista já era página virada”, destacou Alessie Machado.

Depois que o presidente Michel Temer foi atingido por delação de empresário da JBS no âmbito da Operação Lava Jato, a moeda, que vinha operando até o teto de 3,20 reais, passou a oscilar cinco centavos acima, entre 3,20 reais e 3,30 reais.

Na terça-feira passada, entretanto, com a derrota do governo na votação da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, a moeda foi a 3,33 reais e tem operado nesses níveis desde então. Na véspera, ao atingir o nível de 3,35 reais, teto do novo intervalo, a moeda atraiu vendedores, que derrubaram os preços.

Os investidores também aguardavam a denúncia contra Michel Temer pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Na véspera, o ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), enviou a Janot cópia do inquérito que investiga o presidente.

A partir do seu recebimento, Janot terá cinco dias para denunciá-lo ou pedir o arquivamento da investigação, por falta de elementos para fazer a acusação.

“A cautela com o político pode dar força para o dólar”, resumiu o responsável pelo departamento de análise de câmbio da corretora Walpires, Fúlvio Andrade.

O Banco Central brasileiro vendeu integralmente a oferta de até 8,2 mil swaps cambiais tradicionais --equivalente à venda futura de dólares-- para rolagem dos contratos que vencem julho. Com isso, já rolou 5,330 bilhões de dólares do total de 6,939 bilhões de dólares que vence no mês que vem.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below