29 de Junho de 2017 / às 21:03 / em 4 meses

Bovespa fecha em leve alta por avanço de reforma trabalhista, mas exterior limita ganhos

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice da bolsa paulista fechou a quinta-feira em leve alta, após o avanço da reforma trabalhista no Senado, mas a persistente cautela diante cenário político e a queda de Wall Street limitaram os ganhos.

O Ibovespa fechou em alta de 0,36, aos 62.238 pontos. O índice trocou de sinal algumas vezes ao longo do dia, indo de queda de 0,53 por cento na mínima e a alta de 0,77 por cento no melhor momento. O giro financeiro somou 6,1 bilhões de reais.

Na noite passada, a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado aprovou texto da reforma trabalhista, por 16 votos a 9, e um requerimento de urgência para a votação da matéria. O requerimento, contudo, somente será votado pelo plenário do Senado na próxima semana.

“Uma vitória da trabalhista durante julho poderia deixar os ânimos menos pesados, mas de um modo geral não tem muito para onde ir e as coisas realmente vão acontecer mais devagar do que se esperava antes”, disse o analista da Um Investimentos Aldo Moniz.

A crise política permanece no centro das atenções. Nesta quinta-feira a denúncia contra o presidente Michel Temer na Câmara dos Deputados foi lida em plenário. O presidente é acusado de corrupção passiva no âmbito da delação premiada de executivos da J&F, holding que controla a JBS.

No exterior, Wall Street fechou em baixa, com os índices Dow Jones e S&P 500 registrando as maiores perdas diárias em cerca de seis semanas, com pressão do setor de tecnologia. O índice S&P 500 recuou 0,86 por cento.

DESTAQUES

- PETROBRAS PN subiu 0,83 por cento e PETROBRAS ON avançou 1,01 por cento, acompanhando o movimento dos preços do petróleo no mercado internacional.

- VALE PNA ganhou 0,49 por cento e VALE ON teve alta de 0,38 por cento, bem abaixo das máximas da sessão, quando subiram 2 por cento. Os ganhos vieram após mais uma sessão positiva para os contratos futuros do minério de ferro na China.

- KROTON ON subiu 2,4 por cento, enquanto ESTÁCIO PARTICIPAÇÕES ON recuou 2,04 por cento, após o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) rejeitar na noite da véspera a proposta de fusão entre as duas empresas de educação, por cinco votos a um. Para analistas do Brasil Plural, embora exista potencial de perda para as ações diante da decisão do Cade, os preços atuais não embutem de forma justa os fundamentos das empresas. A equipe manteve o preço-alvo para os papéis da Kroton, enquanto reduziu o da Estácio.

- FIBRIA ON avançou 3,84 por cento, liderando os ganhos do Ibovespa. No radar estava a especulação sobre a possibilidade de a empresa adquirir uma participação na empresa de celulose Eldorado, após o jornal O Estado de S.Paulo informar que a Fibria estaria planejando se unir à chilena Arauco para comprar a Eldorado, que pertence à holding J&F.

- ELETROBRAS PNB caiu 4,71 por cento e ELETROBRAS ON recuou 4,27 por cento, entre os destaques negativos do índice, após os fortes ganhos da véspera. Também no radar estava a decisão da véspera do Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional de absolver a União em processo em que era acusada de votar em uma assembleia geral extraordinária da Eletrobras em situação de conflito de interesse.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below