4 de Julho de 2017 / às 19:56 / 4 meses atrás

Setor de biodiesel pede antecipação de mistura maior no diesel; vê decisão próxima

(Reuters) - Representantes do setor brasileiro de biodiesel se reuniram em Brasília nesta terça-feira com o presidente Michel Temer e importantes ministros para pedir a antecipação do aumento da mistura do biocombustível no óleo diesel, o que deve ser definido no período de um mês, disse um dirigente da indústria de soja que participou do encontro.

Trabalhador exibe amostra de biodiesel em refinaria na Bahia, Brasil 31/3/2008 REUTERS/Jamil Bittar

A ideia é elevar o porcentual da mistura de biodiesel dos atuais 8 por cento (B8) para 9 por cento (B9) até setembro e para 10 por cento (B10) em março do próximo ano, disse à Reuters o secretário-geral da Associação Brasileira de Óleos Vegetais (Abiove), Fabio Trigueirinho.

O cronograma original previa essas elevações em março de 2018 e março de 2019, respectivamente.

“Existe um quadro (para antecipação). Estamos com safra enorme de soja, um recorde. Temos capacidade de processar volume maior, pois a capacidade ociosa é grande. Seria uma forma de diminuir as importações de diesel, que têm subido muito, e gerar emprego, processar a soja aqui”, explicou ele.

Segundo ele, ficou estabelecido um prazo de um mês para se discutir a possibilidade de antecipação de aumento da mistura. Em sua avaliação, a aplicação do B10 em março de 2018 tem mais chances de se concretizar, pois haveria mais tempo para a realização dos testes em veículos.

No caso da antecipação do B9, seria preciso uma aprovação por um conselho de ministros.

No encontro desta terça-feira, também estavam presentes o ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, o ministro-chefe da Secretaria de Governo, Antônio Imbassahy, e os titulares da Fazenda, Henrique Meirelles, e das Minas e Energia, Fernando Coelho Filho.

“Entendo que é um sinal de que (o governo) está prestigiando o setor. O sentimento que temos é bastante positivo, de que essa área traz retorno e desenvolvimento para o país”, afirmou Trigueirinho.

Conforme o gerente de economia da Abiove, Daniel Furlan Amaral, se a mistura passar para B10 em março, a produção de biodiesel poderia ir a 5,3 bilhões de litros em 2018, representando economia de 3,2 bilhões de dólares com importação de diesel. Para 2017, a fabricação de biodiesel está estimada em 4,2 bilhões de litros.

Neste ano, 3 milhões de toneladas de óleo de soja devem ser utilizadas para produção de biodiesel, disse Amaral. “Está relativamente estável (ante 2016). Apesar de ter havido aumento no porcentual de (mistura), houve queda no consumo de diesel desde 2014, por causa da crise econômica”, destacou.

A elevação de B7 para o atual B8 ocorreu em março de 2017.

Entre 75 e 80 por cento do biodiesel fabricado no Brasil tem a soja como matéria-prima.

RENOVABIO

Segundo Trigueirinho, a reunião desta terça-feira com Temer também tratou do RenovaBio, programa do governo federal para expansão dos biocombustíveis na matriz energética brasileira até 2030.

“Foi pedido para que, em vez de Projeto de Lei, que demora muito, que o RenovaBio seja feito por Medida Provisória. São agendas positivas, de ganha-ganha, que podem gerar efeitos positivos na economia”, comentou Trigueirinho.

Lançado em dezembro do ano passado, o RenovaBio ficou em consulta pública no primeitro trimestre de 2017 e teve suas diretrizes aprovadas pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE) em junho. O programa está, agora, em formatação para eventual apresentação ao Congresso Nacional.

Por Roberto Samora e José Roberto Gomes

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below