31 de Julho de 2017 / às 16:02 / em 4 meses

Governo pretende levantar ao menos R$2 bi com leilão de aeroporto de Santos Dumont em 2018, diz fonte

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O governo federal espera arrecadar no ano que vem de 1,5 bilhão a 2 bilhões de reais, pelo menos, com o leilão do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, sendo que esse valor poderá ser maior caso o vencedor do certame não seja obrigado a ficar com terminais deficitários da Infraero na Região Sudeste, disse uma fonte do governo.

Vista aérea do aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro 25/04/2016 REUTERS/Ricardo Moraes

A decisão de vender o terminal carioca, um dos mais importantes do país e com movimento de cerca de 9 milhões de passageiros em 2016, foi tomada em reunião realizada na sexta-feira, entre representantes dos Ministérios dos Transportes, Casa Civil e PPI, disse a fonte.

O modelo de venda ainda está sendo estudado e analisado pelas equipes das pastas, mas a venda do Santos Dumont já foi decidida e faz parte de um processo de futura extinção estatal Infraero.

“Bateu-se o martelo (para a venda do Santos Dumont)”, disse à Reuters a fonte. “Estão sendo feitas simulações para ver a venda apenas do Santos Dumont ou dele em um bloco (com outros terminais). Isso deve ficar mais claro até fim da semana”, acrescentou.

“Vender só o Santos Dumont puxa a outorga para cima e poderia sair por mais (do que 2 bilhões de reais). Mas, não resolve o problema da Infraero”, afirmou a fonte.

Desde o início do processo de concessão de terminais à iniciativa privada, ainda no governo do PT, a Infraero perdeu a operação de aeroportos importantes como Guarulhos (SP) e Galeão (RJ) e manteve em carteira inúmeros aeroportos deficitários e localizados em cidades de menor demanda.

“A vantagem de vender o Santos Dumont em bloco é tirar da Infraero uns aeroportos deficitários que pesam nas contas da estatal, que no fim depende de dinheiro do Tesouro para se manter”, disse a fonte.

Entre os aeroportos deficitários e que poderiam ser associados a uma eventual venda em bloco com Santos Dumont estão Vitória (ES), Pampulha (MG), Uberlândia (MG), Uberaba ( MG), Macaé (RJ) e Carlos Prates (MG), disse a fonte.

“O que se busca é um instrumento para agilizar uma venda em bloco”, acrescentou.

Paralelamente à venda do Santos Dumont, o governo também discute o futuro de Congonhas, o aeroporto mais movimentado do Brasil.

Segundo cálculos do governo federal, o leilão de Congonhas poderia levantar a preços atuais ao menos 5 bilhões de reais, disse a fonte. A venda do terminal de São Paulo, porém, é considerada mais complexa e demorada. “Congonhas define o futuro da Infraero. Se for para o aeroporto entrar no processo de venda tem que ir toda a Infraero incluindo participações em terminais”, disse a fonte.

Por Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below