7 de Agosto de 2017 / às 18:24 / 2 meses atrás

Receitas têm frustrado e há necessidade de reavaliação da meta fiscal, diz ministro do Planejamento

O ministro do Planejamento do Brasil, Dyogo Oliveira, durante coletiva de imprensa em Brasília 29/06/2017 REUTERS/Ueslei Marcelino

SÃO PAULO (Reuters) - O ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira, deixou a porta aberta nesta segunda-feira para que o governo altere a meta fiscal ao afirmar que as receitas têm frustrado a expectativa da equipe econômica.

“Não posso assegurar que vai haver mudança (da meta fiscal). O que temos de certo até o momento é que as receitas têm frustrado e se impõe a necessidade de se fazer reavaliação”, afirmou o ministro durante evento em São Paulo com a participação de empresários

A meta deste ano é de déficit de 139 bilhões de reais, mas a equipe econômica já reconheceu que esse número não será alcançado e deve projetar um rombo maior.

Ainda na questão fiscal, o ministro do Planejamento voltou a afirmar que a reforma da Previdência é essencial para ajustar as contas públicas.

“É estritamente necessária a reforma da Previdência... Sem ela, não há como voltar a ter superávit”, acrescentou ao ponderar que o texto deve ser aprovado em breve pelo Congresso. “Não tenho uma data (para aprovar); o importante é que está na pauta prioritária do governo e do Congresso.”

Oliveira também afirmou que no segundo trimestre a economia brasileira ficou perto da estagnação no segundo trimestre deste ano, “próximo do neutro”, quando houve a divulgação de indicadores mistos.

Reportagem de Thaís Freitas

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below