10 de Agosto de 2017 / às 20:01 / em 3 meses

Subvenção ao milho no Brasil é a maior em 4 anos, mas preço segue pressionado

SÃO PAULO (Reuters) - O governo brasileiro negociou nesta quinta-feira subvenção para o transporte de mais 692 mil toneladas de milho, ou 100 por cento da oferta do leilão do Prêmio Equalizador Pago ao Produtor Rural (Pepro), elevando o total apoiado pelo mecanismo até agora no ano para 6,05 milhões de toneladas.

Segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), que realiza os leilões, o volume de milho que recebeu subvenções até agora no ano é o maior registrado anualmente em operações de Pepro desde 2013.

O apoio do governo aos produtores, que ajuda a impulsionar exportações do país, ocorre em um ano de baixos preços domésticos, reflexo da safra recorde do cereal, estimada em mais de 97 milhões de toneladas pela própria Conab. Com a subvenção ao transporte, o governo visa enxugar o mercado.

Mesmo assim, o reflexo sobre as cotações do grão ainda é tímido, de acordo com o analista da Informa Economics FNP, Aedson Pereira. Os preços estão oscilando perto dos menores níveis do ano, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da USP.

Segundo Pereira, fatores como a safra volumosa, a dificuldade em se escoar a produção por causa de problemas logísticos, além do encarecimento do frete por causa da alta nos preços dos combustíveis, impedem as cotações do cereal de chegar ao preço mínimo estabelecido pelo governo de 16,50 reais por saca em boa parte do país.

O déficit de armazenagem também dificulta, pois leva alguns produtores a realizarem negócios mesmo em um mercado pressionado.

“Todo esse cenário está ofuscando os efeitos do Pepro e do PEP, com exceção de algumas regiões pontuais, como Rio Verde (GO) e áreas de Mato Grosso do Sul. Por mais que o mercado tenha ganhado liquidez, os preços no físico ainda não repercutiram (esses leilões)”, destacou.

Ao todo, foram realizados 13 leilões de Pepro neste ano desde maio. Com as 692 mil toneladas desta quinta-feira, para produtores de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Goiás, o total subvencionado em 2017 supera as 5,80 milhões de toneladas de 2014, mas continua abaixo das 8,86 milhões de toneladas de 2013.

Em 2015 e 2016 não foram realizados leilões de Pepro, segundo dados da Conab.

A subvenção por parte do governo é ainda maior se considerados os leilões de Prêmio do Escoamento do Produto (PEP), voltados para comerciantes de milho.

Nesta quinta-feira, a Conab negociou 93,40 por cento, ou 56,03 mil toneladas, da oferta de 60 mil toneladas de subvenção para o transporte de milho, contemplando os Estados de Mato Grosso do Sul e Goiás.

Nas 13 operações realizadas neste ano, os leilões de PEP negociaram um total de 1,41 milhão de toneladas de milho.

Assim, somando-se os pregões de Pepro e PEP, o apoio do governo em 2017 envolve 7,46 milhões de toneladas do grão.

As exportações de milho do Brasil começaram a ganhar ritmo em julho, com integrantes do mercado citando a influência dos leilões de prêmio para os negócios.

A Associação Nacional dos Exportadores de Cereais (Anec) projeta que os embarques brasileiros de milho deverão atingir cerca de 30 milhões de toneladas em 2017, que seriam volumes recordes.

Para Pereira, da Informa Economics FNP, as exportações do produto vão deslanchar após o país embarcar o restante de sua produção de soja, que concorre com o milho nos portos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below