17 de Outubro de 2017 / às 19:44 / em um mês

Produção de aço no Brasil em setembro atinge maior nível em dois anos

SÃO PAULO (Reuters) - A produção brasileira de aço bruto em setembro atingiu o maior nível para um único mês desde outubro de 2015, segundo dados divulgados nesta terça-feira pelo Instituto Aço Brasil (IABr), que representa as usinas siderúrgicas.

As usinas do país produziram 2,959 milhões de toneladas de aço bruto em setembro, 7,6 por cento acima do volume de um ano antes e praticamente estável sobre a produção de agosto.

Os dados na comparação anual ainda são influenciados pelo início das operações da Companhia Siderúrgica do Pecém (CSP), no Ceará, em meados do ano passado, afirmou o IABr.

Em setembro, o crescimento da produção foi apoiado em laminados planos, material usado em indústrias como a automotiva, que acumula aumento de 27 por cento na produção nos nove primeiros meses deste ano sobre o mesmo período de 2016. Os laminados planos tiveram alta de 5,1 por cento na produção em setembro, acumulando no ano crescimento de 13 por cento.

Já os laminados longos, usados em setores como construção civil, tiveram queda de 1,2 por cento na produção em setembro sobre um ano antes e recuaram levemente no comparativo com agosto.

No terceiro trimestre, a produção de aço bruto do país cresceu 3,2 por cento sobre um ano antes, para 8,745 milhões de toneladas, mesmo nível de avanço na comparação com o segundo trimestre deste ano.

Os dados foram divulgados poucos dias antes da divulgação de resultados de terceiro trimestre das maiores produtoras de aço do país de capital aberto, cujas ações têm acumulado fortes ganhos nos últimos meses. Somente as ações da Usiminas, que divulga resultados em 27 de outubro, acumulam valorização de 151 por cento entre janeiro e a segunda-feira, impulsionadas por demanda melhor e avanços nos preços internacionais da liga que permitiram reajustes do setor no mercado interno.

Segundo o IABr, o consumo aparente nacional de produtos siderúrgicos foi de 1,8 milhão de toneladas em setembro, 9,1 por cento a mais do que o registrado no mesmo mês de 2016. No acumulado, o consumo aparente, que reúne vendas internas e importações, foi de 14,4 milhões de toneladas, crescimento 5 por cento.

As vendas no mercado interno somaram 1,547 milhão de toneladas em setembro, crescimento de 5,4 por cento sobre o mesmo período de 2016. Nos nove primeiros meses do ano, porém, as vendas mostram estabilidade ante um ano antes, a 12,587 milhões de toneladas. Os laminados planos e longos tiveram crescimento de vendas em setembro na comparação anual, de 0,2 e 11,8 por cento respectivamente.

O setor teve exportações de 1,16 milhão de toneladas em setembro, queda de 13,7 por cento sobre o mesmo mês de 2016, acumulando no ano alta de 9,3 por cento, para 11 milhões de toneladas.

“Ao retirar a CSP da base de comparação do acumulado de janeiro a setembro de 2017 frente ao mesmo período do ano anterior, a produção de aço bruto cresce apenas 3,5 por cento (e não 9,1 por cento) e as exportações recuam 8,1 por cento em vez de crescerem 9,3 por cento”, afirmou o IABr.

A entidade afirmou ainda que as importações de aço no mês passado subiram 7,3 por cento na comparação anual, para 221 mil toneladas, impulsionadas por um volume de compras do exterior de produtos planos mais que duas vezes maiores no período, de 160 mil toneladas.

Por Alberto Alerigi Jr.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below