30 de Outubro de 2017 / às 16:42 / em 2 meses

Governo avalia autorizar térmicas mais caras; negocia oferta de gás com Petrobras

SÃO PAULO (Reuters) - O governo avalia autorizar o despacho térmico no país fora da ordem de mérito, o que incluiu usinas mais caras e com maior impacto na tarifa para o consumidor, diante do baixo nível dos reservatórios da hidrelétricas, disse o ministro de Minas e Energia, Fernando Coelho Filho, nesta segunda-feira.

O ministro de Minas e Energia do Brasil, Fernando Coelho Filho, durante coletiva de imprensa após leilão de áreas do pré-sal, no Rio de Janeiro, Brasil 27/10/2017 REUTERS/Pilar Olivares

Segundo ele, o assunto será tratado na próxima reunião do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), mas não há uma definição tomada.

“Está sendo cogitado, mas decidido não. Temos sim de fato preocupação com a situação”, disse Coelho Filho a jornalistas, após evento no Rio de Janeiro.

Enquanto isso, o governo vem conversando com a Petrobras, segundo ministro, sobre a possibilidade de a estatal fornecer gás a três térmicas que estão sem o combustível --térmicas a gás são mais baratas e menos poluentes que as movidas a óleo.

“Tem uma discussão ampla para viabilizar as três térmicas, e cada uma tem situação diferente, e tentamos endereçar na medida do possível, porque é importante para o sistema contar com elas operando”, completou, sem mencionar quais seriam as usinas ou quais problemas haveriam para o fornecimento de gás.

O uso das térmicas a gás poderia trazer algum alívio ao sistema, com menor impacto aos consumidores.

Por Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below