10 de Novembro de 2017 / às 23:05 / em 12 dias

Lucro da Cosan sobe 53% com força dos negócios de açúcar e combustíveis

SÃO PAULO (Reuters) - A empresa de infraestrutura e energia Cosan reportou nesta sexta-feira lucro líquido de 499,7 milhões de reais no terceiro trimestre, aumento de 53,4 por cento na comparação com o mesmo período do ano passado.

Segundo a empresa, o lucro refletiu o melhor resultado da Raízen Energia, joint venture 50/50 da Cosan com a Shell na área de açúcar, etanol e cogeração. Além disso, a companhia registrou menor despesa financeira líquida.

A Raízen Energia acelerou a moagem de cana no período, atingindo 28 milhões de toneladas, e teve resultado impulsionado por melhor mix de vendas com expansão dos volumes próprios vendidos de açúcar (+44 por cento) e de etanol (+74 por cento) no trimestre; maior preço médio de venda de açúcar em reais; aumento do volume vendido de energia elétrica com melhores preços; e menor custo unitário.

Assim, a Raízen Energia teve lucro antes de juros, impostos, depreciação a amortização (Ebitda) ajustado de 1,4 bilhão de reais, alta de 50 por cento na comparação com o mesmo período do ano anterior.

Com forte a moagem no trimestre, foram mantidas as estimativas de processamento de cana na safra 2017/18 (entre 59 milhões e 63 milhões de toneladas); produção de açúcar (entre 4,3 milhões e 4,7 milhões de toneladas) e de etanol (entre 2 bilhões e 2,3 bilhões de litros).

Na Raízen Combustíveis, o volume vendido do ciclo-otto cresceu 2 por cento no trimestre ante mesmo período de 2016.

Na mesma comparação em gasolina equivalente (gasolina e etanol), o volume foi 3 por cento superior, reflexo do maior volume vendido de gasolina (+5 por cento), enquanto as vendas de etanol caíram 8 por cento.

As vendas de diesel da empresa cresceram 8 por cento no trimestre, influenciadas pelo aquecimento do setor agroindustrial e maior demanda de clientes B2B.

O volume total vendido pela Raízen cresceu 4 por cento no trimestre na comparação com o mesmo período do ano anterior.

O Ebitda ajustado da Raízen Combustíveis foi de 894 milhões de reais no período (+21,4 por cento), em meio ao aumento de vendas e ganhos de inventário em função da dinâmica de preços de etanol, gasolina e diesel.

Por Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below