13 de Novembro de 2017 / às 13:10 / em 8 dias

Vendas de carros elétricos da GM poderá atingir metas em 2019, diz diretor na China

PEQUIM(Reuters) - As joint ventures chinesas da General Motors poderão gerar volume suficiente de vendas de novos veículos elétricos (NEV, na sigla em inglês) para atender às cotas de produção chinesas até 2019 e sem a necessidade de comprar créditos, disse o diretor da GM China, Matt Tsien, nesta segunda-feira.

A China estabeleceu cotas de produção rigorosas para veículos elétricos que as montadoras devem atender até 2019, um movimento que está provocando uma enxurrada de negócios de carros elétricos e novos lançamentos de bateria elétrica e modelos híbridos, à medida que as montadoras chinesas competem para garantir que não ficarão para trás.

A GM produz veículos na China por meio de uma joint venture com a Saic, a maior fabricante de automóveis do país, além de um vínculo de três pontas com a Saic e o Guangxi Automobile Group, anteriormente conhecido como Wuling Motors.

Tsien, chefe da GM China desde 2014, disse que tanto a Saic-GM Corp e o acordo de três vias “estão trabalhando pelo menos para atender, se não exceder, os requisitos de mandato de crédito”, sem dar mais detalhes.

A China divulgou oficialmente os requisitos de veículos elétricos para fabricantes de automóveis no final de setembro. Quando as cotas de carros “ecológicos” entrarem em vigor em 2019, as montadoras precisarão acumular créditos suficientes produzindo e vendendo veículos elétricos para atingir um limite equivalente a 10 por cento de suas vendas anuais. Essa meta aumentaria para 12 por cento em 2020.

Tsien disse que a GM começou bem com o carro à bateria elétrica lançado em julho. O automóvel, chamado Baojun E100, está passando por um estudo de viabilidade de venda direta e atualmente está disponível apenas na cidade de Liuzhou, no sul da China.

Em outubro, a montadora vendeu um total de 1.724 automóveis E100s, com um volume acumulado atingindo quase 4 mil unidades desde julho. O modelo tem preço base de 93,9 mil iuanes (14,1 mil dólares), mas é vendido por 35,8 mil iuanes com subsídios do governo.

“As vendas até agora atingiram em grande parte nossas expectativas, talvez até um pouco acima”, disse Tsien. O carro é um dos três modelos elétricos movidos a bateria que a GM já possui na China. A montadora planeja lançar pelo menos mais sete NEVs no país até 2020.

Por Norihiko Shirouzu

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below