23 de Novembro de 2017 / às 14:02 / em 20 dias

Secex vê dumping na importação de borracha nitrílica proveniente da França e Coreia do Sul

SÃO PAULO (Reuters) - A Secretaria de Comércio Exterior (Secex) avaliou preliminarmente a existência de dumping nas exportações de borracha nitrílica da Coreia do Sul e da França para o Brasil, causando dano à indústria doméstica, segundo circular publicada no Diário Oficial da União nesta quinta-feira.

A expectativa da Secex é concluir o processo de investigação e tomar uma decisão final em abril do próximo ano.

O pedido de investigação foi apresentado pela Nitriflex S.A, produtora doméstica da borracha nitrílica, ou NBR, que é utilizada em diversas aplicações industriais. A Alpargatas e General Motors do Brasil se juntaram a ação como partes interessadas, assim como a Associação Brasileira da Indústria de Artefatos de Borracha.

“Considerando-se a análise dos fatores (...) concluiu-se preliminarmente que as importações das origens investigadas a preços de dumping constituem o principal fator causador do dano à indústria doméstica”, disse a Secex.

As empresas exportadoras ouvidas na investigação são a francesa Arlanxeo Emulsion Rubber France S.A.S (Arlanxeo) e a sul-coreana LG Chem Ltda.

A Nitriflex requereu que fosse aplicado direito provisório antidumping de 0,17 dólar por quilo para a Coreia do Sul e de 0,83 dólar por quilo para a França. O período analisado foi de janeiro de 2012 a dezembro de 2016.

Por Natália Scalzaretto

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below