April 20, 2018 / 9:58 PM / 3 months ago

Liderança do HSBC é questionada sobre diferença salarial e diversidade de gênero no banco

LONDRES (Reuters) - Funcionários e investidores do HSBC questionaram seus novos presidentes nesta sexta-feira sobre como melhorar o equilíbrio de gêneros e a diversidade étnica na alta administração de um banco que há apenas algumas semanas relatou a maior diferença salarial de gêneros entre empresas britânicas.

Mark Tucker, o novo presidente do conselho de administração da instituição financeira, e o novo presidente-executivo, John Flint, enfrentaram perguntas de seus próprios funcionários na assembleia geral anual do banco em Londres sobre o motivo pelo qual tão poucas mulheres e pessoas de cor estão em seus altos escalões.

“Eu quero saber especificamente o que o HSBC vai fazer para conseguir pessoas como eu sentadas lá [no conselho do banco], eu quero vir a esta reunião geral anual e ver um reflexo de mim mesma sentada lá”, disse Ololade Durodola, uma mulher negra que trabalha na divisão de banco de varejo do HSBC.

Flint respondeu que o banco se comprometeu com uma meta de aumentar a proporção de mulheres em cargos de gerência sênior para 30 por cento até 2020, ante 26,5 por cento hoje, mas que precisa fazer mais em diversidade e equilíbrio de gênero.

“Até que nossa liderança sênior represente as pessoas que estamos servindo, estamos correndo um risco comercial”, disse Flint.

No nível do conselho, cinco dos 14 diretores do HSBC são mulheres depois que o banco reduziu o quadro de 17 membros nesta sexta-feira, como parte dos esforços de Tucker para reduzir a burocracia e acelerar a tomada de decisões.

O HSBC revelou no mês passado que há uma diferença salarial entre os gêneros de 59 por cento, a maior entre as empresas britânicas com mais de 250 funcionários e causada pela falta de mulheres em cargos mais altos e mais bem pagos.

O presidente-executivo, Flint, disse a repórteres nos bastidores da reunião que o banco tomou medidas, incluindo a exigência de contratar listas de candidatos para equilibrar os gêneros, mas disse que o banco não conseguirá escolher mulheres para empregos mais altos por causa de seu gênero.

“Temos que criar um ambiente onde as mulheres possam realizar seu potencial, mas se começarmos a tentar colocar as mulheres em papéis porque elas são mulheres, nós minamos essa opção”, disse Flint.

Durodola disse à Reuters depois da reunião que acredita que Flint tentaria resolver os problemas de equilíbrio étnico e de gênero nos altos escalões do HSBC, mas disse que não espera que o problema seja resolvido rapidamente.

Por Lawrence White

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below