June 18, 2018 / 5:37 PM / 4 months ago

Índices recuam por tensões comerciais

MILÃO/LONDRES (Reuters) - Os mercados acionários europeus recuaram pela segunda sessão consecutiva nesta segunda-feira uma vez que as preocupações com a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China mantêm investidores nervosos, enquanto a produtora de cabos Nexans despencou após um alerta sobre o lucro.

Operadores trabalham embolsa alemã em Frankfurt 21/03/2018 REUTERS/Tilman Blasshofer

O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,8 por cento, a 1.509 pontos, enquanto o índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,83 por cento, a 386 pontos.

O embate comercial entre EUA e China se intensificou depois que o presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou tarifas sobre bens chineses e Pequim respondeu com medidas similares.

“Os investidores continuam reagindo ao aumento das tensões comerciais entre EUA e China”, disseram Mike van Dulken e Artjom Hatsaturants, analistas da Accendo Markets.

O STOXX apagou todos os ganhos obtidos na quinta-feira, quando o Banco Central Europeu disse que as taxas de juros permaneceriam em mínimas recordes, pelo menos até o verão de 2019 (no hemisfério norte).

O índice alemão DAX recuou 0,8 por cento, pressionado pela preocupação de que uma crise em relação à política de migração possa desestabilizar o governo de coalizão de Angela Merkel.

A montadora Volkswagen foi a que mais sofreu, com queda de 3,3 por cento, seguida pela marca de artigos esportivos Adidas, que recuou 2,7 por cento.

A francesa Nexans caiu 16 por cento depois que a empresa alertou que uma “deterioração abrupta” de suas atividades de alta voltagem provavelmente se traduzirá em lucros menores neste ano.

O alerta também pesou sobre a sua rival italiana Prysmian, que registrou queda de 1,6 por cento.

O grupo francês de gás e energia Engie caiu 4,8 por cento após afirmar que interrupções não programadas em seus reatores nucleares na Bélgica terão impacto de 250 milhões de euros no lucro de 2018.

A fornecedora aeroespacial Cobhan subiu 4,6 por cento após elevada a “overweight” pelo banco Morgan Stanley.

“Achamos que a gestão atual estabilizou a performance, com os custos obrigatórios reduzidos e medidas tomadas para ajudar na entrega operacional”, disseram analistas do banco norte-americano.

A Air Shuttle, da Noruega, subiu 10,1 por cento após a Lufthansa dizer que houve contato com a empresa sobre uma possível combinação.

A norueguesa também foi alvo de uma proposta da IAG, dona da British Airways. A IAG subiu 0,7 por cento enquanto a Lufthansa registrou queda de 0,6 por cento.

O índice FTSEurofirst 300 fechou em queda de 0,80 por cento, a 1.508 pontos.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,03 por cento, a 7.631 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 1,36 por cento, a 12.834 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,93 por cento, a 5.450 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,41 por cento, a 22.099 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,83 por cento, a 9.769 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 valorizou-se 0,01 por cento, a 5.569 pontos.

Por Danilo Masoni e Julien Ponthus

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below