June 24, 2018 / 7:05 PM / 4 months ago

Merkel faz pressão sobre tema de migração enquanto "solução europeia" falha

BRUXELAS (Reuters) - A chanceler alemã, Angela Merkel, disse neste domingo que buscará acordos diretos com países da União Européia sobre migração, admitindo que o bloco não conseguiu encontrar rapidamente uma solução conjunta para uma questão que está ameaçando seu governo.

Desde que as chegadas ao Mediterrâneo aumentaram em 2015, quando mais de um milhão de refugiados e migrantes chegaram ao bloco, os líderes da UE têm discordado sobre como lidar com eles, enquanto a disputa enfraquece sua unidade e prejudica a área de viagens livre da Europa.

Dezesseis dos 28 líderes da UE mantiveram conversações em Bruxelas neste domingo, antes de uma cúpula do Conselho Europeu, em 28-29 de junho.

“Sabemos que no Conselho Europeu, infelizmente, não teremos uma solução completa para a questão da migração”, disse Merkel ao chegar à reunião.

Merkel está sob pressão para encontrar uma solução para a cúpula, porque seu parceiro de coalizão está pressionando por um curso mais rígido na política de migração que poderia levar a um colapso de seu governo. Incapaz de esperar pelo consenso total da UE, Merkel disse que iria buscar medidas mais rápidas.

“É por isso que haverá acordos bilaterais e trilaterais, como podemos ajudar uns aos outros - nem sempre esperar pelos 28 membros, mas pensar no que é importante para quem”, disse ela.

O presidente francês, Emmanuel Macron, pareceu oferecer a Merkel seu apoio cauteloso, dizendo que, embora a solução para a migração deva ser “europeia”, ela poderia ser construída por meio da cooperação de todos os membros da UE ou apenas decidindo ir juntos.

Os dados da ONU mostram que apenas 41 mil pessoas chegaram à UE do outro lado do mar neste ano, mas pesquisas de opinião mostram que a migração é a principal preocupação dos 500 milhões de cidadãos da UE.

A Itália luta há muito tempo para lidar com as chegadas e seu novo governo populista rejeita quaisquer idéias que possam fazer com que ele tenha que lidar com um número ainda maior de pessoas.

O primeiro-ministro Giuseppe Conte disse que as regras da UE de que o primeiro país de chegada da UE é responsável pelos migrantes devem ser retiradas. Isso reduziria muito a pressão sobre a Itália.

Reportagem, adicional de Jan Strupczewski, Peter Maushagen and Gabriela Baczynska em Bruxelas, Stephen Jewkes em Roma, Andrea Shalal em Berlin

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below