July 3, 2018 / 2:07 PM / 5 months ago

Ibovespa avança com exterior favorável

SÃO PAULO (Reuters) - O principal índice de ações de B3 subia na manhã desta terça-feira, favorecido pelo viés benigno em praças acionárias na Europa e futuros em Wall Street, em dia com poucas divulgações relevantes no cenário doméstico.

Painel eletronico da Bovespa no centro de São Paulo 9/05/2016 REUTERS/Paulo Whitaker

Às 11:05, o Ibovespa subia 0,71 por cento, a 73.356 pontos. O volume financeiro somava 1,18 bilhão de reais.

“Sem muitas novidades no campo interno, a bolsa acaba seguindo o exterior e também os preços de commodities”, afirmou o analista Vitor Suzaki, da corretora Lerosa.

No exterior, um acordo sobre imigração na Alemanha ajudava os índices europeus, enquanto os norte-americanos S&P 500 e Dow Jones eram apoiados no avanço de papéis de energia com a alta dos preços do petróleo.

As bolsas norte-americanas fecharão mais cedo nesta sessão, 14h (horário de Brasília), véspera do feriado de 4 de Julho nos Estados Unidos, quando não haverá negociações em Wall Street.

O clima externo mais favorável era ajudado por declaração do presidente do banco central chinês, Yi Gang, de que está observando de perto as flutuações no mercado de câmbio e que buscará manter o iuan estável e em nível razoável.

Em nota a clientes, a equipe de análise técnica do Itaú BBA disse que o Ibovespa segue em um movimento de recuperação em direção à forte resistência em 74.100 pontos - patamar que mantém o índice em tendência de baixa no curto prazo.

“Acima desta, o movimento de alta poderá continuar e encontrará próximas resistências em 76.500 e 78.900 pontos”, escreveram Fábio Perina e Larissa Nappo. “Do outro lado, o Ibovespa possui suporte inicial em 71.500 pontos.”

DESTAQUES

- BRF subia 2,28 por cento, ainda entre as maiores altas do Ibovespa, enquanto investidores seguem repercutindo o anúncio de um plano de desinvestimentos pela companhia para reduzir seu endividamento.

- PETROBRAS PN e PETROBRAS ON subiam 1,26 e 1,02 por cento, respectivamente, em sessão com alta nos preços do petróleo e noticíário intenso sobre a petrolífera de controle estatal, incluindo suspensão dos processos competitivos para parcerias em refino e também de desinvestimentos na Araucária Nitrogenados e na Transportadora Associada de Gás (TAG).

- VALE avançava 0,47 por cento, recuperando-se da queda da véspera, em pregão mais positivo para as cotações do minério de ferro na China.

- ITAÚ UNIBANCO PN subia 0,77 por cento e BRADESCO PN tinha alta de 1,58 por cento, endossando o viés mais positivo no pregão brasileiro, dada as relevantes fatias que detêm na composição do Ibovespa.

- TAESA avançava 2,12 por cento. Na véspera, a XP Investimentos recomendou a compra dos papéis dentro de sua carteia de dividendos para julho, citando entre os argumentos estabilidade do segmento de transmissão de energia elétrica, baseado em uma estrutura de receitas fixas.

- CYRELA se valorizava 1,2 por cento e MRV ganhava 0,92 por cento. A pauta da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado nesta sessão prevê votação do projeto de lei que trata da mudança nas regras dos distratos. (here

- ELETROBRAS PNB e ELETROBRAS ON recuavam 0,54 e 1,07 por cento, respectivamente, com os investidores ainda na expectativa de leilão para a privatização de seis distribuidoras de energia da companhia elétrica estatal, agendado para o dia 26 de julho.

- SMILES caía 2,38 por cento, entre as maiores quedas do Ibovespa. O Itaú BBA excluiu os papéis de sua carteira TOP 5.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below