July 17, 2018 / 8:14 PM / 2 months ago

Joint venture da Vale e Cemig avalia compra de ativo da Renova Energia, dizem fontes

SÃO PAULO (Reuters) - A Aliança Geração de Energia, uma joint venture entre a mineradora Vale e a elétrica mineira Cemig, tem avaliado a possível aquisição de um parque eólico da Renova Energia cujas obras foram paralisadas por falta de recursos da empresa, disseram à Reuters três fontes com conhecimento do assunto.

Turbinas eólicas em praia de Fortaleza, Ceará 26/04/2017 REUTERS/Paulo Whitaker

As negociações do ativo, que ocorrem atualmente também com outros interessados, começaram após a Renova não chegar em maio a um acordo final com os canadenses da Brookfield para a venda do empreendimento, o chamado complexo Alto Sertão III, na Bahia, que quando concluído terá cerca de 400 megawatts em capacidade.

A Renova, que tem como sócios a própria Cemig e sua controlada Light, passou a buscar um novo acionista ou a venda de ativos desde o fracasso de uma associação com a norte-americana SunEdison em 2015.

A empresa de energia limpa chegou a aceitar no ano passado uma oferta da Brookfield, mas as negociações entre as empresas não chegaram a um acerto após meses de idas e vindas, o que levou à retomada da busca por investidores nos últimos meses.

Desde então, a empresa tem conversado com meia dúzia de possíveis compradores, incluindo a Aliança, afirmou uma das fontes.

“A Aliança está participando do processo, mas tem mais gente”, disse a fonte na condição de anonimato, confirmando informação obtida pela Reuters sobre uma reunião envolvendo representantes da Aliança e Renova.

“Há várias propostas de compradores, não só da Aliança. Não tem sido dada exclusividade a ninguém”, adicionou uma segunda fonte, que também preferiu não se identificar porque as tratativas são sigilosas.

Ela acrescentou que há “três ou quatro propostas” na mesa pela aquisição de Alto Sertão III.

Executivos da Aliança chegaram a participar na segunda-feira de uma reunião na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) com representantes da Renova, da Cemig e da Light para discutir o atual estágio do projeto Alto Sertão III.

As fontes não citaram nominalmente outros interessados no ativo da Renova nem valores envolvidos nas conversas.

Antes, a Brookfield havia feito uma oferta de 650 milhões de reais para ficar com o complexo Alto Sertão III.

A Renova havia aportado cerca de 390 milhões de reais nas obras do complexo até a paralisação dos trabalhos no final de 2016.

A empresa, que seria um braço para expansão da Cemig em energia limpa, chegou a ter quase 700 megawatts em usinas em operação e planos para alcançar uma capacidade instalada de mais de 2 gigawatts, mas passou a vender ativos em meio às dificuldades financeiras. Atualmente, a Renova opera apenas cerca de 190 megawatts em pequenas hidrelétricas.

Procurada, a Renova Energia não respondeu de imediato a um pedido de comentário, assim como a Cemig.

A Aliança Geração e Light afirmaram que não vão comentar o assunto.

Por Luciano Costa

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below