August 1, 2018 / 6:20 PM / 3 months ago

Fed não muda taxa de juros e mantém caminho para alta em setembro

Chair do Federal Reserve, Jerome Powell, em Washington, Estados Unidos 18/07/2018 REUTERS/Mary F. Calvert

WASHINGTON (Reuters) - O Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, manteve a taxa de juros no intervalo entre 1,75 e 2 por cento nesta quarta-feira, mas caracterizou a economia como forte, mantendo o Fed no caminho para aumentar os custos dos empréstimos em setembro.

O Fed informou que a economia dos EUA tem crescido fortemente e que o mercado de trabalho norte-americano continua se fortalecendo, enquanto a inflação permaneceu perto da meta de 2 por cento desde sua última reunião de junho, quando elevou os juros.

“Os ganhos com emprego foram fortes, em média, nos últimos meses, e a taxa de desemprego permaneceu baixa. Os gastos das famílias e os investimentos fixos nos negócios cresceram fortemente”, informou o Fed via declaração unânime após a conclusão de sua mais recente reunião de política monetária.

O Fed atualmente espera mais dois aumentos de juros até o final do ano. Os investidores haviam descartado a possibilidade de mudança na reunião desta semana, com expectativa de aumento das taxas no próximo mês e em dezembro.

O chair do Fed, Jerome Powell, disse recentemente que a economia está em um “lugar realmente bom” e prometeu continuar com aumentos graduais nos custos dos empréstimos, a fim de manter expansão econômica dos EUA.

A economia cresceu ao ritmo de 4,1 por cento no segundo trimestre, o melhor desempenho em quase quatro anos, com consumidores impulsionando os gastos e agricultores apressando os embarques de soja para a China para se anteciparem às tarifas retaliatórias.

A inflação também está se recuperando após seis anos sem cumprir a meta do Fed. A medida preferencial de inflação do banco central —o índice de preços ao consumidor (PCE, na sigla em inglês) excluindo alimentos e componentes de energia— subiu ao ritmo de 2 por cento no segundo trimestre.

Os custos trabalhistas dos EUA, vistos como um dos melhores indicadores de quanta folga é deixada no mercado, também registraram o maior ganho anual desde 2008 no segundo trimestre.

Por Lindsay Dunsmuir e Pete Schroeder

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below