December 6, 2018 / 6:16 PM / 5 days ago

BNDES vai contratar consultoria para analisar financiamento a empreiteiras no exterior, diz fonte

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) vai contratar outro escritório internacional para analisar o financiamento do banco a exportação de bens e serviços de engenharia nos últimos anos, especialmente as destinadas ao grupo Odebrecht, disse uma fonte a par do assunto.

Sede do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) no Rio de Janeiro 06/09/2017 REUTERS/Pilar Olivares

O trabalho da consultoria deve começar no ano que vem e, há chance de os primeiros resultados virem já em 2019. A Odebrecht foi um dos alvos da Operação Lava Jato e Marcelo Odebrecht, ex-presidente do grupo, foi preso por cerca de 2 anos.

Em delações, ex-executivos da Odebrecht disseram que faziam pressão sobre oficiais do banco, incluindo sobre o ex-presidente Guido Mantega, para agilizar processos para liberar empréstimos.

“Não será o mesmo escritório que está avaliando as operações de JBS e J&F”, disse a fonte sob condição de anonimato. “Ninguém falou em benefício direto a funcionário do banco, mas que os pedidos eram feitos, no caso ao Mantega”, adicionou.

A orientação para a consultoria, segundo a fonte, é ir a fundo nas investigações sobre financiamento a exportação para bens e serviços de engenharia da Odebrecht.

“Queremos chancelar aquilo que dizemos, que não houve nenhuma facilitação. Mas se encontrarem algo, não haverá limites”, disse a fonte. “A investigação pode eventualmente aperfeiçoar processos do banco para uma segurança ainda maior para o futuro”, adicionou.

Na gestão de Maria Silvia Bastos Marques, o BNDES anunciou a suspensão de empréstimos para as principais empreiteiras brasileiras investigadas pela Lava Jato. Os contratos que totalizavam 4,7 bilhões de dólares.

Além de Odebrecht, a decisão afetou OAS, Queiroz Galvão, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez, envolvendo contratos em países como Argentina, Cuba, Venezuela, Guatemala, Honduras, República Dominicana, Angola, Moçambique e Gana.

Ao todo, a suspensão inclui 25 projetos, que somam 7 bilhões de dólares, sendo que 2,3 bilhões já tinham sido desembolsados. Para reativar o financiamento, as empresas têm que se enquadrar a novos critérios do banco.

O presidente eleito Jair Bolsonaro tem dito que uma das suas primeiras medidas de governo será abrir o que chama de caixa preta do BNDES. O atual presidente do banco, Dyogo Oliveira, disse que o banco firmou acordos com órgãos como o Tribunal de Contas da União (TCU), e que as operações do banco estão bem mais claras e disponíveis na página na internet.

“Tomei isso como incentivo porque imagino que o presidente se referia a operações contratadas muitos anos atrás”, disse Oliveira. “Tenho plena certeza que o BNDES é o banco mais transparente no mundo”, finalizou.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below