December 17, 2018 / 6:06 PM / 9 months ago

Fed recebe críticas da Casa Branca enquanto prepara aumento dos juros

WASHINGTON (Reuters) - Apenas dois dias antes de o Federal Reserve provavelmente elevar os juros pela quarta vez neste ano, o presidente Donald Trump e seu principal assessor comercial nesta segunda-feira elevaram suas críticas sobre o aperto monetário do banco central.

Presidente dos EUA, Donald Trump 13/12/2018 REUTERS/Jim Young

“É incrível que, com um dólar bem forte e praticamente nenhuma inflação, o mundo exterior explodindo ao nosso redor, Paris em chamas e com a China em desaceleração, o Fed ainda esteja considerando outro aumento de juros. Que vitória!”, escreveu Trump no Twitter de manhã cedo.

Algumas horas depois, o assessor de comércio da Casa Branca, Peter Navarro, ampliou o tema, chamando o Fed de “louco” por ter sinalizado, como fez em setembro, que iria continuar aumentando os juros no próximo ano.

“A razão pela qual o Fed não deveria aumentar os juros na quarta-feira não é porque a economia está desacelerando, mas porque a economia está crescendo sem inflação”, disse Navarro à CNBC.

“Eu acho que o que o Fed deveria fazer é simplesmente fazer o que ele diz que vai fazer, que é olhar para os dados.... em vez de apenas dizer que vai aumentar os juros três vezes no próximo ano -isso foi louco. Olhe os dados.”

Investidores fizeram apostas pesadas de que o banco central dos EUA vai aumentar a taxa de juros ao fim de seus dois dias de encontro de política monetária nesta quarta-feira, conforme entrega sua promessa de aumentar os juros gradualmente em direção a um nível neutro para evitar que a economia superaqueça.

Muitos economistas também esperam que o Fed aumente os juros no ano que vem, embora a um ritmo mais lento diante da possível recessão econômica.

Trump tem frequentemente criticado o banco central e seu chairman, Jerome Powell, por elevação das taxas de juros neste ano, especialmente depois do aumento da volatilidade e de os rendimentos dos Treasuries começarem a sinalizar uma possível recessão à frente.

Em uma entrevista à Reuters na semana passada, Trump disse que precisava da flexibilidade de juros mais baixos para apoiar a economia dos EUA de forma mais ampla, enquanto ele luta em uma crescente disputa comercial contra a China e, potencialmente, outros países.

Com a inflação na meta de 2 por cento do Fed e poucos membros votantes de política monetária preocupados com superação deste limite, Navarro sugeriu que o banco central está aumentando os juros pelo motivo errado.

“Nós temos inflação zero para as questões práticas, então na quarta-feira o único argumento que posso ouvir do Fed para aumentar os juros agora é que de alguma forma eles tenham que demonstrar sua independência da Casa Branca”, disse Navarro.

(Reportagem de Lisa Lambert e Susan Heavey)

((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7757))

Por Iuri Dantas

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below