March 8, 2019 / 9:09 PM / 18 days ago

Estoques de milho dos EUA crescem com menor demanda na exportação e de etanol

CHICAGO (Reuters) - O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) previu nesta sexta-feira um surpreendente aumento nos estoques norte-americanos de milho, com a redução de sua previsão dos volumes que serão utilizados por exportadores e produtores de etanol.

REUTERS/Vincent Kessler

O governo norte-americano também diminuiu sua perspectiva para os estoques domésticos de soja, aumentando a estimativa de esmagamento, e ampliou sua previsão para os estoques de trigo, conforme os panoramas de exportação pioraram.

Os estoques domésticos de milho para 2018/19 foram previstos em 1,835 bilhão de bushels, apontou o USDA em seu relatório mensal de oferta e demanda, alta ante sua perspectiva de fevereiro, de 1,735 bilhão de bushels.

Analistas em pesquisa da Reuters haviam estimado os estoques finais de milho entre 1,68 bilhão e 1,795 bilhão de bushels.

O governo cortou sua previsão de exportação de milho em 75 milhões de bushels, para 2,375 bilhão. A perspectiva mais recente também aponta uso de 5,55 bilhões de bushels de milho por produtores de etanol, 25 milhões a menos que na estimativa anterior.

“Era certamente garantido que eles cortariam as perspectivas do etanol e da exportação de milho, mas 100 milhões de bushels é um corte considerável para um mês”, disse Brian Hoops, presidente da Midwest Market Solutions.

“Era muito improvável que as exportações repetissem a previsão anterior, por conta da grande produção de milho da América do Sul neste ano, após a seca do ano passado.”

Na bolsa de grãos de Chicago, os contratos futuros do milho despencaram para suas mínimas desde 27 de novembro. Os futuros do trigo caíram para uma nova mínima de 13 meses, enquanto a soja bateu sua mínima desde 20 de fevereiro.

Os estoques finais de soja para o ano comercial de 2018/19 serão de 900 milhões de bushels, queda ante estimativa governamental de fevereiro de 910 milhões de bushels, mas ainda os maiores já registrados. A previsão de esmagamento aumentou para 2,1 bilhões de bushels, contra 2,09 bilhões de bushels anteriores.

A projeção para exportações de soja se manteve estável, a 1,875 bilhão de bushels, apesar de o secretário da Agricultura norte-americano, Sonny Perdue, ter anunciado no final de fevereiro que a China havia se comprometido a comprar 10 milhões de toneladas adicionais da oleaginosa dos EUA.

Os estoques finais de trigo dos EUA foram estimados em 1,055 bilhão de bushels, alta em relação à perspectiva de 1,010 bilhão de fevereiro e acima da máxima das expectativas do mercado. As exportações de trigo foram reduzidas para 965 milhões de bushels, contra 1 bilhão anteriormente.

O USDA ainda manteve estável sua perspectiva para as safras de milho e soja da Argentina, bem como sua previsão para a safra de milho do Brasil.

O departamento reduziu sua estimativa da colheita de soja brasileira para 116,5 milhões de toneladas, ante 117 milhões de antes.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below