September 25, 2019 / 8:57 PM / 25 days ago

Com atraso, Paraná inicia plantio de soja; Deral vê recuperação após chuvas

SÃO PAULO (Reuters) - O Estado do Paraná, que está entre os três maiores produtores de soja do Brasil, iniciou os trabalhos de plantio da safra 2019/20 após chuvas no último final de semana, tendo plantado até o momento 3% da área projetada, de acordo com dados divulgados nesta quarta-feira pelo Departamento de Economia Rural (Deral), do governo do Estado.

REUTERS/Ueslei Marcelino

Na mesma época do ano passado, o Paraná havia plantado 18% da área projetada, quando o Estado teve o início mais acelerado da história, beneficiado especialmente por chuvas favoráveis.

“Choveu bastante no último final de semana, deu uma aliviada (na seca), já dá para o produtor iniciar o plantio, dar uma acelerada, mas ainda é necessário chover mais para conseguir zerar o déficit (hídrico), disse o Marcelo Garrido, economista do Deral.

Ele lembrou que alguns municípios ficaram quase 50 dias sem chuvas, principalmente no norte do Estado, o que afetou também o plantio da primeira safra de milho, cuja semeadura atingiu 39% da área até a última segunda-feira, ante 58% na mesma época da safra anterior.

“Choveu de forma geral, mas a chuva não foi tão volumosa em todas as regiões”, afirmou Garrido, lembrando que o plantio começou pelos municípios de Cascavel, Toledo e Campo Mourão, tradicionais produtores.

Garrido lembrou que no ano passado o Estado teve um início de plantio muito forte nos primeiros 20 dias, mas “depois já começamos a ter problema de tempo seco”. “Está acontecendo o inverso.”

Com o tempo mais úmido, ele disse acreditar que o relatório de plantio da próxima semana apontará um bom avanço nos trabalhos de soja.

“Acho que (o plantio) vai ter uma estilingada boa”, comentou.

Se o tempo seco foi ruim para o plantio precoce de verão, foi bom para a colheita de trigo, que atingiu 60% da área, enquanto no ano passado estava nesta época em 20%, diante das chuvas.

CENTRO-OESTE

O plantio de soja em Mato Grosso, maior produtor brasileiro da oleaginosa, começou timidamente, atingindo 0,28% da área total projetada até o final da semana passada, segundo dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Em Goiás, outro importante produtor brasileiro, o plantio foi autorizado pelas regras fitossanitárias a partir desta quarta-feira, mas produtores dizem que estão enfrentando tempo seco.

Por Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below