September 28, 2019 / 6:29 PM / 21 days ago

Visco, do BCE, diz que novas medidas de estímulo eram necessárias para conter risco de deflação

O presidente do banco central da Itália, Ignazio Visco, durante reunião entre ministros das Fiannças e presidentes de BCs do G20, em Fukuoka, Japão. 09/06/2019. Franck Robichon

MILÃO (Reuters) - O formulador de política monetária do Banco Central Europeu (BCE) Ignazio Visco disse neste sábado que recentes medidas expansionistas do BCE era necessárias para combater o risco de um retorno à deflação na área do euro.

No início deste mês, o BCE —na última reunião de política monetária do banco sob o comando de Mario Draghi— prometeu novo estímulo indefinido para reviver a economia da zona do euro em crise, decisão que teve oposição de um terço dos membros responsáveis pela definição da política monetária do bloco.

“Devemos combater o risco significativo de que a desaceleração econômica e o baixo nível de inflação se traduzam em uma redução permanente nas expectativas de inflação ou no ressurgimento da ameaça de deflação”, disse Visco durante uma conferência.

Visco, presidente do banco central italiano, acrescentou que a experiência adquirida durante a crise financeira global e a crise da dívida soberana ensinou que “nessas circunstâncias a prudência excessiva é contraproducente”.

Por Giulio Piovaccari

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below