October 28, 2019 / 3:46 PM / 20 days ago

Cena externa favorece e dólar estende queda ante real

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar registrava mais uma forte queda ante o real nesta segunda-feira, em semana marcada por reuniões de política monetária aqui e nos Estados Unidos, com agentes do mercado de olho na vizinha Argentina depois da vitória de Alberto Fernández nas eleições gerais.

REUTERS/Gary Cameron

Às 12:44, o dólar recuava 0,75%, a 3,9794 reais na venda.

Na mínima, a cotação foi a 3,9731 reais na venda, menor patamar intradia desde 13 de agosto. Com isso, a divisa chegou a cair abaixo da média móvel de 100 dias (3,9806 reais), importante ponto de suporte técnico, depois de na semana passada ter deixado para trás outro nível de suporte, a média móvel de 50 dias.

Na B3, o dólar futuro tinha queda de 0,65% a 3,9800 reais.

A moeda norte-americana encerrou a sexta-feira em queda de 0,88%, a 4,0094 reais na venda, o menor valor para um fechamento desde 16 de agosto, chegando a ficar abaixo dos 4 reais na sessão.

“Temos uma série de fatores positivos acontecendo, aliás, tudo o que está acontecendo geopoliticamente é positivo. Um fator de atenção seria a eleição na Argentina, mas isso tende a ser um fator muito local e não deve ter força para afetar o dólar individualmente”, afirmou Jefferson Laatus, sócio e fundador do Grupo Laatus.

Os peronistas voltaram ao poder na Argentina, no domingo, com a vitória do candidato Alberto Fernández sobre o presidente neoliberal Mauricio Macri com uma vantagem confortável, em uma eleição que desloca a terceira maior economia da América Latina para a esquerda depois de sofrer uma profunda crise econômica.

O peso argentino mostrava forte valorização contra o dólar, com alta de 1,3%, no melhor desempenho entre cerca de 30 pares do dólar, após o banco central do país apertar suas restrições à compra de dólares.

Ainda do lado político, os mercados externos refletiam a concordância pela União Europeia (UE) de uma extensão para o prazo do Brexit, o que reduz riscos de uma saída desordenada do Reino Unido do bloco europeu.

Segundo Laatus, grande parte do otimismo no mercado nesta segunda também se deve em parte a expectativas de cortes de juros nos EUA nesta semana. Os juros futuros dos EUA indicavam que operadores veem 91% de chance de o Fed cortar os juros para um intervalo entre 1,50% e 1,75% em sua próxima reunião, de acordo com a ferramenta Fedwatch do CME Group.

Na cena doméstica, a expectativa também é de mais cortes na Selic, com apostas de que o Banco Central reduza a taxa de juros para uma mínima recorde de 5,00% na quarta-feira, de acordo com a visão unânime em pesquisa da Reuters com economistas.

Portanto, Laatus afirma que o cenário não é muito promissor para que o dólar continue operando abaixo do nível de 4 reais no curto prazo, uma vez que uma Selic mais baixa reduz o retorno pago a investidores com ativos em reais.

“Não temos grandes motivos para continuar abaixo de 4 reais. A tendência na semana é que tudo fique oscilando próximo da estabilidade, mas acima de 4 por dólar.”

Nesta segunda-feira, o BC vendeu todos os 525 milhões em moeda spot ofertados, além de todos os 10.500 contratos de swap reverso (de oferta de 10.500 contratos). Adicionalmente, a autarquia também vendeu 1,5 bilhão de dólares em leilão de rolagem de linha de dólar com compromisso de recompra (de oferta total de 1,5 bilhões).

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below