November 28, 2019 / 5:44 PM / 13 days ago

Ações europeias fecham em queda com retorno de nervosismo comercial

(Reuters) - As ações europeias recuaram de uma máxima em quatro anos nesta quinta-feira, depois que as preocupações sobre uma trégua entre Estados Unidos e China ressurgiram após o presidente norte-americano, Donald Trump, assinar uma lei apoiando os manifestantes em Hong Kong, provocando forte repreensão por parte de Pequim.

Bolsa de Valores de Frankfurt, Alemanha 28/11/2019 REUTERS/Staff

A lei alerta para sanções contra violações de direitos humanos em Hong Kong em meio a protestos pró-democracia. Em resposta, Pequim disse que tomará “contramedidas firmes” contra o que vê como interferência dos EUA em assuntos internos.

O índice FTSEurofirst 300 caiu 0,16%, a 1.600 pontos. O índice pan-europeu STOXX 600 perdeu 0,14%, a 409 pontos, depois de ganhar por quatro sessões consecutivas, já que o impasse diplomático ameaça atrapalhar as negociações comerciais entre as duas principais economias do mundo.

As ações dos fabricantes de autopeças, sensíveis ao comércio, lideraram as quedas no índice, caindo 0,8% em seu pior dia em mais de uma semana.

Em LONDRES, o índice Financial Times recuou 0,18%, a 7.416 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX caiu 0,31%, a 13.245 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 perdeu 0,24%, a 5.912 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 0,61%, a 23.342 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 registrou baixa de 0,04%, a 9.359 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 desvalorizou-se 0,72%, a 5.151 pontos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below