for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Exportação de suco de laranja do Brasil cresce 54% entre julho e novembro, diz CitrusBR

Carregamento de laranjas em Limeira (SP) 13/01/2012 REUTERS/Paulo Whitaker

SÃO PAULO (Reuters) - As exportações de suco de laranja do Brasil registraram alta de 54% entre julho e novembro de 2019, os cinco primeiros meses da safra 2019/20, em comparação com igual período do ano passado, informou nesta quarta-feira a Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos (CitrusBR).

De acordo com a entidade, os embarques brasileiros do produto (FCOJ Equivalente a 66º Brix) no período totalizaram 535.714 toneladas, com um faturamento de 921 milhões de dólares, 39% superior ao do mesmo período de 2018.

Para o diretor-executivo da CitrusBR, Ibiapaba Netto, o avanço pode ser explicado pela movimentação de estoques diante da grande safra projetada para 2019/20, com 385 milhões de caixas --volume que ficaria entre os maiores dos últimos 10 anos.

“Com um volume grande de laranja para processar, é natural que nesta época do ano haja movimentação de estoques do Brasil para os destinos finais, para ter o produto disponível para a venda e para liberar espaço nas unidades brasileiras”, disse Netto em comunicado.

Ele ponderou que ainda não é possível identificar um aumento de demanda no impulso aos números, afirmando que é necessário aguardar os próximos meses para uma melhor avaliação do comportamento dos embarques.

A União Europeia, principal cliente do maior exportador de suco de laranja do mundo, elevou em 59% suas compras nos cinco primeiros meses da safra, para 365.987 toneladas, enquanto os Estados Unidos adquiriram 92.369 toneladas, alta de 36%.

Por Gabriel Araujo

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up