February 5, 2020 / 4:41 PM / 4 months ago

Prêmio da soja do Brasil sobe pela 1ª vez em uma semana com demanda chinesa, diz Platts

SÃO PAULO (Reuters) - Puxados pela demanda chinesa enquanto a safra vai sendo colhida, os prêmios para a soja do Brasil nos portos subiram pela primeira vez desde o dia 28 de janeiro, segundo informou a S&P Global Platts em nota a clientes.

Navio é carregado com soja para exportação no porto de Paranaguá (PR) 27/03/2003 REUTERS/Paulo Whitaker

“Os prêmios de exportação mostraram alguns sinais de recuperação na terça-feira, uma vez que surgiram detalhes de que várias cargas foram negociadas nos últimos dias...”, afirmou a empresa de informações especializadas.

A Platts citou também que “novas compras chinesas” deram suporte aos prêmios da soja brasileira ante as cotações de Chicago.

O diferencial no porto de Santos para março subiu 1 centavo de dólar, para 56 centavos de dólar por bushel, a mesma alta verificada no porto de Paranaguá, cujo prêmio da soja foi visto em 51 centavos de dólar por bushel.

Nesta quarta-feira, os prêmios apresentavam estabilidade, uma vez que a soja em Chicago subia cerca de 1 centavo no início da tarde no Brasil, segundo a Platts.

A empresa não citou o número de cargas negociadas com a China, maior importadora global da oleaginosa e do produto do Brasil.

As altas nos prêmios vêm na esteira de um salto nos embarques de soja programados para fevereiro, depois de uma redução nas exportações brasileiras em janeiro, quando a oferta da safra nova nacional ainda era baixa, conforme reportou a Reuters.

Em janeiro, notícias sobre a assinatura da fase 1 do acordo comercial EUA-China também reduziram a demanda pela soja brasileira, que sazonalmente fica mais competitiva quando a colheita ganha força.

Além disso, a base de comparação de janeiro com o mesmo mês do ano passado é forte, já que o Brasil ainda se beneficiou bastante da guerra comercial entre chineses em norte-americanos no início de 2019.

O aumento das compras da China em fevereiro ocorre em meio a relatos de boas condições para o desenvolvimento da safra do Brasil, que deve ter produção recorde.

Na véspera, a FCStone estimou uma colheita de 124 milhões de toneladas para o Brasil, com aumento de quase 8% ante a safra passada, se o número se confirmar.

Especialistas consultados pela Reuters afirmaram que é cedo para avaliar qualquer impacto do novo coronavírus na China para as vendas de soja do Brasil, ainda que a doença tenha afetado os mercados globais. A soja é vista como um produto essencial, com demanda praticamente “inelástica”.

Por Roberto Samora

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below