for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Rússia ainda estuda proposta da Opep+ de ampliar cortes de produção, diz ministro

MOSCOU (Reuters) - A Rússia ainda está estudando uma proposta de maiores cortes na produção da petróleo colocada em discussão no grupo de produtores Opep+ depois que um surto de um novo coronavírus na China, disse o ministro de Energia, Alexander Novak, nesta terça-feira.

Um painel técnico que assessora a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados, liderados pela Rússia, propôs cortes adicionais de 600 mil barris por dia (bpd), disseram três fontes à Reuters na semana passada.

Isso representa cerca de 0,6% da oferta global e levaria os cortes da Opep para 2,3 milhões de bpd.

Novak disse que a Rússia está monitorando o impacto do coronavírus sobre os mercados de perto.

“A situação segue extremamente incerta”, afirmou ele em um comunicado.

“Atualmente, a Rússia está estudando de perto a recomendação do comitê técnico para avaliar a situação e encontrar uma abordagem correta com base nos interesses do mercado como um todo.”

Os comentários são semelhantes a afirmações feitas por ele na semana passada.

A demora da Rússia para decidir sobre sua posição oficial tem frustrado alguns membros da Opep.

Os produtores do grupo Opep+ devem se reunir em Viena em 5 e 6 de março para discutir sua política de produção. Cortes de oferta que vêm sido promovidos pelo grupo expirarão em março.

Por Vladimir Soldatkin

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up