March 12, 2020 / 12:28 PM / in 3 months

Ações de companhias aéreas europeias recuam fortemente após Trump restringir viagens

28/09/2018 REUTERS/Wolfgang Rattay

LONDRES (Reuters) - Ações de companhias aéreas europeias recuavam fortemente nesta quinta-feira, depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, restringiu as viagens da Europa aos Estados Unidos por 30 dias para tentar conter a propagação do coronavírus.

A medida é outro revés para um setor que foi atingido por restrições anteriores de viagens em todo o mundo e vem enfrentando a queda nos volumes de passageiros devido ao surto do vírus, agora classificado como pandemia.

O analista do Credit Suisse, Neil Glynn, disse que a rota transatlântica é “o principal impulsionador de lucro” das companhias aéreas europeias.

Com 20% a 30% de suas receitas de passageiros provenientes dessa rota, Glynn destacou os danos causados nas próximas semanas e potencialmente no verão do hemisfério norte.

As ações da Air France, que perderam quase 60% de seu valor desde que o surto de coronavírus chegou à Europa, caíam outros 6,29%.

A alemã Lufthansa e a IAG, dona da British Airways e da Iberia, caía 7,5%.

As ações da Norwegian Air Shuttle, que opera voos transatlânticos, despencavam mais de 20%.

O setor aéreo foi o mais afetado pelo surto do coronavírus, com a queda na demanda de viagens e a Itália em quarentena obrigando as companhias a cancelar rotas e reduzir custos para tentar sobreviver à crescente crise.

Por Thyagaraju Adinarayan

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below