March 13, 2020 / 2:38 PM / 2 months ago

Congestionamento em portos na China diminui, mas taxa de contêiner refrigerado dispara

PEQUIM (Reuters) - O congestionamento nos portos chineses está diminuindo, dizem autoridades e participantes do setor, embora um grande represamento de contêineres refrigerados tenha interrompido o fluxo de alimentos frescos e congelados e aumentado o frete fora da China.

Trabalhador ao lado de contêineres da Maersk em um centro de logística perto do porto de Tianjin, em Tianjin, China 12/12/2019

Milhares de contêineres refrigerados que transportam carne, frutos do mar e frutas de todo o mundo para a China estão presos há semanas nos portos do país, depois que Pequim estendeu o feriado do Ano Novo Lunar e cidades de todo o país restringiram a livre circulação para conter a propagação do coronavírus.

Com poucos caminhoneiros e equipes nos portos para o transporte de cargas, contêineres refrigerados ficaram presos em portos já congestionados ou redirecionados pela Ásia para encontrar lugares onde pudessem ser conectados à energia elétrica.

Nas últimas semanas, Pequim permitiu mais viagens e ofereceu apoio financeiro às empresas para reiniciar as operações. Alguns portos fretaram trens para trazer os motoristas de caminhão, com o objetivo de agilizar a movimentação de contêineres.

“Havia escassez de pessoal em todos os lugares, nos berços, entre inspetores, caminhoneiros e empresas.... Mas está ficando muito melhor agora, à medida que as pessoas voltam”, disse Zhang Ruxing, secretário geral da divisão de contêineres da China Ports & Harbours Association.

A companhia marítima alemã Hapag-Lloyd disse à Reuters em comunicado que o congestionamento de portos na China diminuiu, as operações de atracação melhoraram e os terminais retomaram as condições normais de trabalho.

Mais lugares para conectar os contêineres também se tornaram disponíveis e a empresa não está mais desviando cargas em larga escala, afirmou.

Xangai, o maior porto de contêineres em volume do mundo, e Tianjin adicionaram 7.000 novos pontos para conectar contêineres, expandindo a capacidade de armazenamento de cargas refrigeradas em 40%, disse o documento.

Cerca de um terço das cargas redirecionadas foram trazidas de volta para a China, acrescentou.

Um funcionário da Autoridade Portuária de Busan confirmou que o porto sul-coreano que levou algumas das cargas redirecionadas está vendo um declínio nos números.

Com muitos contêineres ainda presos na Ásia e as linhas de transporte cancelando as viagens, um grande desequilíbrio no mercado também está aumentando as taxas de frete, disse Frank Madsen, diretor global de contêineres e logística marítima da transportadora dinamarquesa Blue Water Shipping.

As taxas de frete no “spot” ou de curto prazo aumentaram até 200%, disse ele, e devem aumentar ainda mais.

Por Muyu Xu e Dominique Patton em Pequim; reportagem adicional de Jane Chung em Seul e Emily Chow em Xangai

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below