March 26, 2020 / 6:28 PM / 4 months ago

Malpass diz que o Banco Mundial está finalizando pacote de US$160 bi contra vírus

O presidente Banco Mundial, David Malpass, participa de coletiva de imprensa em Berlim 01/10/2019 REUTERS/Hannibal Hanschke

WASHINGTON (Reuters) - A diretoria do Banco Mundial está finalizando um pacote de alívio contra o coronavírus avaliado em até 160 bilhões de dólares nos próximos 15 meses, afirmou o presidente do banco, David Malpass, nesta quinta-feira.

“Os objetivos são reduzir o tempo de recuperação; criar condições de crescimento; apoiar pequenas e médias empresas; e ajudar a proteger os pobres e vulneráveis”, disse Malpass em comunicado divulgado após uma reunião de líderes do G20 nesta quinta-feira.

Ele acrescentou que a crise de saúde chegou perto de casa, pois a ex-diretora executiva do Banco Mundial para os EUA Carole Brookins morreu de Covid-19, a doença causada pelo coronavírus.

O Banco Mundial aprovou neste mês 14 bilhões de dólares em empréstimos e doações para reforçar as respostas médicas ao coronavírus, quantia que está incluída nos 160 bilhões de dólares.

Malpass disse que o banco agora tem novos projetos relacionados ao Covid-19 em andamento em 56 países e está incentivando outros bancos multilaterais de desenvolvimento a cofinanciar as próximas tranches. As entidades do Grupo Banco Mundial estão reestruturando projetos existentes em 24 países para direcionar fundos a emergências de saúde.

“Estou particularmente preocupado com países pobres e densamente povoados, como a Índia, onde os sistemas de saúde fracos precisam de investimentos massivos em capital humano, suprimentos e infraestrutura”, afirmou Malpass. “Estamos trabalhando duro para fornecer suporte através de nossas ferramentas do setor público e privado.”

A Corporação Financeira Internacional, braço do setor privado do Banco Mundial, está trabalhando em novos investimentos em 300 empresas e ampliando linhas de crédito e financiamento ao comércio e capital de giro, acrescentou.

Malpass e a diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Kristalina Georgieva, pediram na quarta-feira aos credores bilaterais que estendam o alívio da dívida para ajudar os países mais pobres a lidar com a pandemia.

Reportagem de David Lawder e Andrea Shalal

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below