April 16, 2020 / 7:39 PM / 2 months ago

Mansueto descarta problema de financiamento do Tesouro e critica impressão de dinheiro

BRASÍLIA (Reuters) - O secretário do Tesouro, Mansueto Almeida, criticou nesta quinta-feira a eventual impressão de dinheiro como saída para a expansão de gastos pelo coronavírus, e disse que o Tesouro não tem nenhum problema de financiamento.

17/11/2017 REUTERS/Pilar Olivares

“Hoje a gente fez um leilão de manhã de 10 bilhões de reais. Se quiser pode vender mais? Pode. Mas também a gente não está desesperado para voltar ao mercado”, disse.

“A gente está vendo como é que o mercado vai se estabilizar, qual será, por exemplo, o prêmio que o Tesouro terá que pagar e gradualmente a gente volta ao mercado”, completou.

Em conversa virtual com a corretora Necton, Mansueto frisou que o Tesouro tem colchão de liquidez grande que permite com que passe alguns meses sem fazer leilão de título público.

Na véspera, o governo posicionou-se contra o projeto para auxílio a Estados e municípios aprovado pela Câmara dos Deputados, apontando em nota técnica assinada por Mansueto que ele pressiona o endividamento da União sem qualquer previsibilidade num momento em que o Tesouro já enfrenta dificuldades para colocar títulos longos no mercado.

Questionado sobre eventual estratégia de impressão de dinheiro para bancar a expansão de gastos, o secretário disse considerar esse passo “algo muito arriscado” pelo risco inflacionário.

Nesse sentido, ele defendeu que a forma mais transparente de financiar as despesas quando não há superávit primário —como é o caso brasileiro— é via aumento da dívida pública.

“Não vamos confundir as coisas, não vamos tentar reinventar a roda e repetir os erros que esse país fez na década de 70 e 80 quando a gente imprimiu dinheiro pra financiar aumento de gastos”, afirmou.

Mansueto voltou a destacar que é importante o país não criar gastos permanentes em meio à pandemia e que precisa voltar à agenda de reformas depois para engatar o crescimento econômico.

Diante das rusgas entre Executivo e Legislativo sobre novas medidas para o combate aos impactos do coronavírus, Mansueto fez um apelo pelo “bom debate político” em diversos momentos e ponderou que a viabilidade política de qualquer medida não está predefinida, mas se constrói.

“A gente precisa ter calma, sentar à mesa, criar consensos pra ver o que se consegue aprovar”, disse.

Por Marcela Ayres

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below