for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Autoridades do Fed se preocupam com cicatrizes econômicas duradouras da crise

WASHINGTON (Reuters) - Depois de distribuir trilhões de dólares em apoio à economia dos Estados Unidos durante a pandemia de coronavírus, autoridades do Federal Reserve começaram a alertar sobre possíveis cicatrizes duradouras na força de trabalho e na produtividade, se a recuperação não for bem-sucedida.

Em comentários separados nesta sexta-feira, os chefes de três bancos regionais do Fed disseram que os esforços agressivos já empreendidos para manter empresas fluindo são apenas o começo do que será necessário para que a economia volte ao normal, com reciclagem de trabalhadores e redes de segurança social reformuladas, além de outras etapas necessárias quando a crise da saúde diminuir.

“Precisamos trabalhar no ritmo de recuperação da economia” após a crise, disse o presidente do Fed de Richmond, Thomas Barkin.

Ele observou que as empresas podem estar operando de maneira menos eficiente sob regras de distanciamento social, o investimento empresarial pode ser dificultado pela confiança corroída e os trabalhadores podem recuar do mercado de trabalho, ao repensar como cuidar de crianças e pais idosos em uma época em que creches e asilos oferecem riscos mais altos.

Barkin falou em meio a uma série de dificuldades para acabar com os isolamentos provocados pela coronavírus. Alguns Estados abriram suas economias e outros mantiveram restrições, enquanto empresas e seus funcionários sofrem para encontrar o equilíbrio certo.

Por Howard Schneider

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up