May 4, 2020 / 9:19 PM / in 2 months

Brasil teme avanço do protecionismo agrícola em meio à pandemia, aponta documento

Edifício do Ministério da Agricultura, em Brasília (DF) 12/07/2019 REUTERS/Adriano Machado

BRASÍLIA (Reuters) - O Brasil espera que a pandemia do novo coronavírus resulte no aumento do protecionismo nos mercados agrícolas globais, à medida que países buscam garantir suas ofertas locais de alimentos, apontou um documento preliminar do Ministério da Agricultura visto pela Reuters.

O documento destacou a possibilidade de que países instituam restrições a exportações, subsídios e outras políticas de favorecimento às indústrias agrícolas domésticas.

As conclusões são baseadas em consultas realizadas entre o ministério e 23 adidos agrícolas localizados em postos diplomáticos brasileiros ao redor do mundo.

O Brasil se tornou uma potência agrícola nas últimas décadas, na esteira da globalização. O país é o maior exportador de soja, açúcar, café, suco de laranja, carne de frango e carne bovina do mundo, além de forte concorrente dos Estados Unidos no agronegócio.

O documento afirma que é provável que haja mais intervenções nos mercados agrícolas, com países em alguns casos diminuindo restrições quando há temor de escassez de alimentos, mas retornando a “graus elevados de proteção e subsídios quando conveniente, como forma de estimular as agroindústrias domésticas.”

“Sobre subsídios, especificamente, há o risco de a pandemia ser utilizada como pretexto para seu emprego em níveis desproporcionalmente elevados”, indicou o documento.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below