May 5, 2020 / 7:21 PM / in 2 months

BofA eleva a 14% projeção para desemprego em 2020 no Brasil por impactos precoces do coronavírus

Homem usando máscara protetora passa em frente a lojas fechadas em meio ao surto do Covid-19 20/03/2020 REUTERS/Amanda Perobelli

SÃO PAULO (Reuters) - O Bank of America revisou de 12,6% para 14% a estimativa para a taxa média de desemprego neste ano, devido a evidências de impacto negativo “significativo” na economia brasileira já em março da disseminação do Covid-19 e das quarentenas.

Para o banco, a flexibilização monetária e o estímulo fiscal robusto (acima de 10% do PIB) devem impedir uma contração econômica mais profunda, mas não evitarão uma recessão.

“A expansão fiscal sem precedentes e a recessão levarão a um déficit primário recorde do setor público de 7,5% do PIB este ano”, previu o banco.

Nas contas do BofA, o PIB cairá 2,2% no primeiro trimestre ante os três meses anteriores. Entre abril e junho, a contração econômica deverá bater os 7%, equivalente a uma retração de 25,1% em termos anualizados. Para o ano, a expectativa do banco é de declínio de 3,5%.

“Os riscos negativos à atividade estão principalmente relacionados à duração dos bloqueios, à folga no mercado de trabalho e a condições de crédito”, disse o banco em nota.

O BofA estima que, com a economia fragilizada, o Banco Central cortará a Selic em 50 pontos-base na quarta-feira, para 3,25% ao ano. Mas, para o banco, o juro cairá ainda mais até o fim do ano, para 2,75%, com um pano de fundo “recessivo e desinflacionário”.

Por José de Castro

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below