May 15, 2020 / 12:22 PM / 11 days ago

Empresa irlandesa de alimentos Kerry demite no Brasil em meio à pandemia

SAO PAULO (Reuters) - A empresa irlandesa de alimentos e ingredientes Kerry está reduzindo o número de funcionários no Brasil em resposta às mudanças no mercado causadas pelo surto do novo coronavírus, disseram três líderes sindicais.

As demissões afetam quase 8% dos quadros da companhia no país, de acordo com cálculos da Reuters.

A Kerry teve um início de ano promissor, mas desde março as medidas de isolamento social no mundo afetaram a demanda de clientes em restaurantes, cadeias de fast food e bares, o que atingiu empresas que atuam como fornecedoras nesses segmentos.

A divisão de sabor-e-nutrição da Kerry nas Américas possui receita anual de 3,2 bilhões de euros (US$ 3,46 bilhões), com o chamado food service correspondendo a 30% das vendas, segundo informações públicas.

Em nota à Reuters, a Kerry disse que todas as seis instalações no Brasil estavam “totalmente operacionais”, sem dar detalhes.

No entanto, em Cotia, onde a Kerry fabrica produtos como maionese e molho de tomate vendidos para o Mcdonald’s, algumas linhas de produção foram temporariamente fechadas em meio à pandemia, disse o diretor sindical Januncio Batista de Araujo Neto. Ele estimou que 50 pessoas foram demitidas, reduzindo o número de funcionários na planta para cerca de 350.

Em Campinas, onde funciona a sede da Kerry no Brasil, Marcos Araujo, presidente do sindicato local, disse que a produção não foi interrompida, apesar de ele admitir que demissões pontuais ocorreram.

Outro local afetado pelos cortes é Três Corações, onde são feitos produtos lácteos e ingredientes de carne. Ali, 34 pessoas foram demitidas até agora, afirmou Rogerio Prado Ribeiro, presidente do sindicato local. A outra novidade é que a fábrica de Três Corações agora opera seis e não sete dias por semana, disse o dirigente.

Uma fonte próxima à empresa, afirmando que a Kerry emprega 1.100 pessoas no Brasil, contou haver “um número muito pequeno de demissões”, mas preferiu não se aprofundar.

A fonte citou ainda dispensas “sazonais” devido à menor demanda por produtos como sorvete, à medida que o inverno se aproxima no hemisfério sul.

A Kerry espera tempos difíceis, segundo comunicado ao mercado em 30 de abril. Devido às incertezas relacionadas aos desdobramentos da pandemia de Covid-19, ela retirou todas as projeções financeiras para o ano divulgadas em fevereiro.

A Kerry disse ainda que o impacto da pandemia no desempenho do segundo trimestre será pior do que no trimestre anterior.

Por Ana Mano

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below