for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Powell e Mnuchin enfrentam Senado sobre resposta desigual dos EUA ao coronavírus

WASHINGTON (Reuters) - O chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, e o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, foram questionados por parlamentares norte-americanos nesta terça-feira sobre a natureza desigual da resposta fiscal às consequências da pandemia de coronavírus.

Chairman do Federal Reserve, Jerome Powell (à esquerda), ao lado do secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, durante evento do G20 em Fukuoka, Japão 08/06/2019 REUTERS/Kim Kyung-Hoon/Pool

Powell e Mnuchin prestaram depoimento ao Comitê Bancário do Senado, no momento em que o Congresso considera a possibilidade de distribuir trilhões de dólares em ajuda adicional para apoiar uma economia que foi paralisada devido às quarentenas impostas em março e abril.

O governo Trump foi criticado por inicialmente minimizar a pandemia, que já matou mais de 90.000 norte-americanos, e por não garantir o fornecimento de suprimentos médicos suficientes para combater o vírus.

Trabalhadores essenciais “colocam suas vidas em risco por salários muito baixos, e ainda estão preocupados com o pagamento de suas contas. Isso é justo?”, perguntou Sherrod Brown, senador democrata de Ohio, a Mnuchin.

Quando Mnuchin começou a agradecer “a todos os trabalhadores essenciais”, Brown o interrompeu. “Agradecer é ótimo, mas é justo que nossa economia pague tão pouco aos trabalhadores essenciais nessas condições de trabalho?”

Conforme mais Estados reabrem as empresas, o governo está finalizando um programa de oito semanas para canalizar dinheiro a pequenas empresas para evitar demissões. Isso leva a reivindicações para prorrogar o programa de 660 bilhões de dólares chamado Paycheck Protection Program. O presidente Donald Trump disse na segunda-feira que essa prorrogação “deve ser fácil”.

Até o momento, o alívio fiscal foi desequilibrado, com os grandes bancos acessando facilmente o respaldo do Fed, enquanto empresas familiares eram barradas inicialmente dos programas de empréstimos às folhas de pagamento. Ao mesmo tempo, alguns dos trabalhadores mais mal pagos do país estão fazendo os trabalhos mais perigosos.

Embora mais de 30 milhões de pedidos de auxílio-desemprego tenham sido processados desde março, os trabalhadores relatam atrasos de semanas ou meses na obtenção dos auxílios e alguns afirmam que foram impedidos de reivindicá-los.

“Trabalhando em estreita colaboração com os governadores, estamos começando a abrir a economia de maneira a minimizar os riscos para trabalhadores e clientes”, disse Mnuchin. “Esperamos que as condições econômicas melhorem no terceiro e quarto trimestres.”

EXPANSÃO DE CRÉDITO

Powell afirmou em comentários preparados para a audiência que a Lei de Ajuda, Alívio e Assistência Econômica a Coronavírus (CARES, na sigla em inglês), aprovada em março, é “crítica” à capacidade do banco central dos EUA de expandir crédito por toda a economia para compensar o golpe do coronavírus.

Outros programas para ajudar empresas maiores e emissores de títulos municipais durante a recessão estão apenas no início.

O banco central dos EUA reduziu a taxa de juros para quase zero e criou uma ampla rede de programas para garantir que os mercados financeiros continuem funcionando durante a pandemia. Também estabeleceu instrumentos de concessão de empréstimos para empresas e as primeiras compras de títulos corporativos.

Em declarações transmitidas no domingo à noite, Powell disse que o desemprego pode atingir 25% antes de começar a cair, com uma contração no Produto Interno Bruto de 20% ou mais. Ele acrescentou que “métricas médicas” positivas, que podem aumentar a confiança do consumidor, são decisivas.

Reportagem de David Lawder e Heather Timmons

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up